quarta-feira, 5 de junho de 2013

Estou comendo minha avó

O meu nome é Fernando, tenho 19 anos, sou militar, minhas ex-gatas dizem sempre que eu tenho um baita de um pirocão, quando terminam comigo, só namorava pra fuder, tenho 1,85 de altura, peso 89 quilos, sou filho caçula, tenho mais 2 irmãos mais velhos e casados, moro com os meus pais.
Há uns 2 meses atrás meus pais foram viajar e antes disso a minha avó materna, viúva já uns 8 anos, de 60 anos, veio passar uns tempos com a gente.
De vez em quando ela me via só de cueca, e sempre brincava comigo, me chamando de mulecão. Quando ela e eu fomos deixar meus pais no aeroporto, na volta para casa, uma ex-namorada pediu carona e eu dei, conversamos um pouco, deixei ela na casa dela e vim para casa com a minha vó, a vovó quis saber sobre o fim do meu namoro, disse que a moça era muito bonita, tinha um corpão, e que parecia com ela quando era jovem.
De noite, estávamos assistindo a novela, umas 9 horas, quando começou a cair o maior toró, era água pra danar, minha vó disse que estava assustada e veio sentar perdo de mim, deitou na minha perna, eu estava só de bermuda, e comecei a ficar de pau duro com a cabeça dela em cima da minha pica. Ela notou, e safadamente passou a mão bem em cima do meu pau, eu me segurei pra não gemer de prazer, então ela repetiu e segurou bem na cabeça da minha pica.
Depois levantou e perguntou se eu tinha coragem de fazer amor com ela, nem respondí, levantei e fui encostando nela bem devagar, ela prontamente correspondeu, e a gente se beijou em pé, comecei a esfregar o meu pau nela, desliguei a televisão e a sala ficou meio escura, ela se entrgou de vez, então eu fui deitando ela no sofá, entre as pernas delas comecei a bombar por cima da camisola, e fui tirando minha bermuda, quando ela viu o tamanho do meu pau, quase 26cm de comprimento, ela delirou, se abaixou e começou a chupar, mandei ela parar pra não gozar na boca dela, então comecei a tirar a roupa dela, ví então que a minha vó não era de se jogar fora, estava bem conservada para 60 anos, comecei a pegar na buceta toda meladinha, ela então pediu pra eu deitar em cima dela, fui metendo bem devagar, estava apertadinha, devido o tempo que ela estava sem transar, fui metendo até o fim, comecei a bombar e ela quase grita quando gozou em menos de 5 minutos, pediu pra eu não parar, continua, continua, mete com força, eu quero gozar mais, que pica gostosa, eu acho que vou morrer nesse teu pauzão, acho que vou morrer de tanto gozar, aí eu fui à loucura também, gozei adoidado naquela xana velha mais apertadinha e gostosa, gosamos à vontade.
Depois fomos pro quarto dos meus pais, nos lavamos, eu fiquei de olho no rabo dela, e comecei a esfregar a cabeça da minha pica na racha da bunda dela, ela se segurou na pia do banheiro e eu fui metendo o meu pau até os culhões no rabo dela, chega ela fazia careta, e eu olhando pelo espelho ela fazendo careta pra aquentar a minha pica todinha dentro do cú dela, depois ficou de quatro, parecia uma cachorrinha, gozei uma 3 vezes seguidas dentro do cú da minha vó. Quando parei, fomos tomar banhos, o pau tava todo dolorido, fui lavar a boceta dela, tava escorrendo um rio de gala, ela começou a rir, e disse que nunca tinha traído o marido e veio encontrar um pirocão tão gostoso dentro da própria família.
Depois ficamos conversando deitados, nús embaixo do lençol, comecei a esfregar meu pau nela de novo, comecei a beijar ela, fui pra cima e fudemos até umas 3 da madrugada. Depois dormimos agarrados. Quando acordamos no outro dia, começamos tudo de novo, ela me disse que estava precisando se atualizar no sexo, que estava com a piriquita ardendo, depois de tanto tempo sem fuder deu de cara com uma pombona enorme, mas estava realizada. Hoje, sempre a gente dá uma trepada escondida pela casa de vez em quando, vamos pra garagem da casa pra fuder, transamos encondidos lá no terraço quando a empregada está ocupada com alguma tarefa, fudemos atrás da porta do meu quarto em pé, ela diz que é uma loucura, mas que ela adora fazer estas loucuras comigo. E me diz mais, vou ficar sempre do teu lado enquanto tú me quiser como mulher. A gente transa sem camisinha, é uma delícia, adoro comer de todo jeito a minha avó. aquele bucetão, aquele cuzão, me deixam tarados, e assim nós continuamos, minha vó e eu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário