quarta-feira, 5 de junho de 2013

Online agora

 

Como comi o cuzinho da minha afilhada

Era uma tarde de terça-feira, eu estava no escritório trabalhando como sempre, atento e sempre compenetrado no trabalho, pois gosto muito do que faço, quando toca o telefone, meu colega de trabalho atende e diz que é para mim e que é uma garota chamada Karina... ué... pensei, Karina só tem minha afilhada, mas ela nunca liga aqui, fiquei preocupado, será que aconteceu alguma coisa e quando atendi, senti sua voz meia rouca e logo ela disse que precisava falar comigo, eu disse que tudo bem que se ela quisesse eu iria até a casa dela ou então ela viria até a minha casa, onde ela respondeu que queria falar comigo a sós, sem ninguém se intrometer, pois a conversa era séria... eu disse que tudo bem e que pegaria ela no serviço dela naquele dia mesmo, combinamos às 18:30h.
Em casa arrumei uma desculpa com minha esposa que eu iria até um cliente tirar umas fotos e que poderia chegar um pouco tarde, já que lá é um barzinho e precisaria do tempo livre do responsável, além de também tirar a foto sem que nenhum cliente estivesse no local da foto, pois bem... lá fui eu ao encontro da minha afilhada.
Chegando lá, ela já estava me esperando na porta do seu serviço, reconheceu meu carro e logo entrou, me cumprimentou meio que friamente e pediu para que fossemos a algum lugar sossegado, como eu teria mesmo que tirar a foto em tal cliente no barzinho, juntei o útil ao agradável e à necessidade também.
Chegamos ao barzinho, apresentei a Karina ao cliente como uma funcionária do escritório, tirei algumas fotos e aproveitamos para ficar por lá para conversarmos, ela topou e assim ficamos.
Eu estava já preocupado, pois ela estava séria e eu pensei que algo de muito ruim ou preocupante estaria realmente acontecendo, quando pergunte:
- Vamos... fala logo o que está acontecendo, pois estou preocupado.
Ela respondeu com lágrimas nos olhos:
- Terminei com o meu namorado (o malinha, sempre o chamei assim), você acredita que o infeliz teve a coragem de me trair e o pior, na minha frente, com uma garota que eu conheço, na balada sábado passado?
Eu tentei falar algo, mas não tinha outra coisa a falar a não ser:
- Olha linda, isso não é a primeira vez que acontece com alguém, não vai ser a última e ainda pode vir a acontecer com você novamente, você precisa ter os pés no chão e, principalmente, se valorizar, se olhar no espelho e ver que você é linda, interessante, inteligente, independente e eu posso dizer que você também uma delicinha.
Quando falei isso ela deu um sorriso e disse:
- Só você mesmo para me fazer sorrir e me sentir bem, você é o máximo.
Respondi:
- Não sou nada disso, apenas sou um cara que gosta demais de você e que estou falando a verdade e também estou aqui para o que der e vier quando se diz respeito à sua felicidade.
Ela agradeceu pegando em minhas mãos, pude sentir que suas mãos estavam suando frio e ela disse que estava a fim de encher a cara e tudo mais... eu disse para ela não fazer isso, pois o “malinha” não merecia e que não era assim que ela iria descobrir que ele não a merecia.
Ela me olhou com uma carinha de sapeca e disse:
- Para variar, rs., você está certo, vou extravasar mas é curtindo e com alguém que realmente me mereça também, me diz.... o que você está pensando em fazer hoje?
Respondi que nada, que iria tirar as fotos aqui como eu tinha falado e que depois eu iria para casa, mas que não tinha horário como eu tinha explicado para minha esposa e antes de eu terminar de falar, ela me pega de surpresa e fala:
- Me leva em um lugar onde vamos ficar apenas eu e você, juntinhos pelo menos por algum tempo, só nós dois, quero que você faça eu esquecer “malinha” como você fala!!! rs.
De imediato, pedi a conta, dei sorte que o cliente não cobrou, também foram só um suco e um choppinho, nos despedimos do rapaz e fomos embora.
Peguei meu carro e fomos a um motel onde eu adoro ir e que fazia tempo que eu não ia, fiquei meio ressabiado pois ela ainda tem 17 anos, mas como as coisas mudaram, só dei o meu documento na portaria e caímos para dentro do motel.
Quando entramos no quarto, seu olhos brilharam, pois me disse nunca ter ido a um motel e esse motel é muito legal, simples mas muito bonito, pistinha de dança, uma bela cama redonda com espelhos para todos os lados e uma hidromassagem, como iríamos ficar apenas por algumas horas, não quis pegar uma suíte com piscina.
De repente e para meu espanto, ela me empurra na cama, caí de costas e ela se joga em cima de mim me beijando e que beijo, parecia que ela não beijava a séculos e que estava na seca, foi descendo beijando meu pescoço, tirou minha camisa, acariciou e beijou meu tórax e beijando minha barriga, uma delícia, não existem palavras para descrever, enquanto isso, ela já foi tirando meu cinto e desabotoando minha calça, começou a acariciar meu “pau” por cima da cueca, que por sinal já estava duríssimo, como eu disse anteriormente, não tenho uma “jeba” de 19, 20 ou 20 e tantos centímetros como todos por aqui, mas garanto que não falha, pelo menos não falhou até hoje, he he he.
Quando ela tirou meu “pau” para fora e iria colocar na boca eu falei para ela esperar... fui até o banheiro e coloquei a hidro para encher, voltei ao quarto, eu estava só de cuecas e comecei a tirar a roupa dela, peça por peça, bem devagarzinho e a cada peça que eu tirava eu dava um beijinho no local, tirei sua blusinha e beijei seu pescocinho, tirei seu sutiã e beijei seus peitinhos, um de cada vez, tirei sua calça e beijei a sua bundinha, tirei suas meias e beijei cada um de seus pezinhos e a cada peça e a cada beijinho meu, ela suspirava fundo e disse que eu sabia como ninguém fazer carinhos tão bons nela, deixei-a só de calcinha e dei uma mordidinha na “chaninha”, como sempre uma delícia, fofinha.
Nisso a hidro já estava na medida ideal de água e a uma temperatura ótima também, não muito quente, mas quentinha, uma delícia.
Tirei minha cueca, depois tirei a calcinha dela e entramos na hidro, sentei primeiro e ela sentou-se na minha frente de costas para mim, então comecei a beijar seu pescocinho, passar a língua na sua orelhinha, uma de cada vez, ela se arrepiava toda e pedia mais, para eu fazer mais carinhos nela, apertava seus peitinhos e forçava o seu corpo contra o meu, virei-a de frente pra mim e nos beijamos, pedi para ela sentar na beirada da hidro, ela assim o fez e já abriu suas pernas, deixando a mostra a coisa mais linda do mundo, sua “chaninha” quase que peladinha, só com pouquinhos pelos e bem delineados, caí de boca, passei a língua por toda a extensão da sua “chaninha”, enfiei minha língua dentro dela como se fosse um “pau” fazendo movimentos de vai e vem, mas enfiei com gosto mesmo até eu começar a passar a língua em seu clitóris, durinho, lambia, e dava mordidinhas de leve, ela ia à loucura e forçava a minha cabeça contra a sua “chaninha”, até que ela deu um gemido mais forte e eu senti que ela se contraiu toda e senti seu líquido escorrendo na minha boca.
Ela me puxou e escorregou para dentro da hidro e me abraçou com muita força e me beijou com muita intensidade e dizia que eu era tudo do bom e do melhor que alguma garota poderia ter (palavras dela), pois eu sabia como ser carinhoso e que eu sabia ter calma e fazer a coisa certa na hora certa;
Olhei para dentro dos olhos dela, que chegavam a estar lacrimejando, não sei se de tesão, de emoção, de felicidade ou sei lá... e disse que ainda não tinha acabado, esperei ela se recompor e pedi para ela ficar de quatro e ela ficou e disse que faria tudo o que eu queria que eu naquele dia era merecedor, resolvi então aproveitar mais ainda, ela empinou sua bundinha, linda, branquinha, sem marcas de biquíni, nada... pedi para que ela abrisse bem a sua bundinha e ela com ambas as mãos separou bem suas nádegas e eu pude avistar o “cuzinho” mais lindo do mundo, rosadinho e não resisti, caí de boca, lambi ele aos arredores, beijei sua bundinha e ela continuava segurando sua bundinha bem aberta, continuei lambendo e comecei a forçar minha língua no seu “cuzinho” como se fosse penetrá-la e ao mesmo tempo comecei a masturbá-la por baixo, ela começou a rebolar e a gemer, dizendo que estava uma delícia que queria mais.
Não agüentei mais, pedi para ela continuar do jeito que estava, ela ficou, pedi para ela empinar mais sua bundinha e ela empinou, apontei meu “pau” na entrada da sua “chaninha” e enfiei devagarzinho, como eu gosto, centímetro por centímetro, até entrar tudo, estava fácil a entrada, pois ela estava também com muito tesão, então comecei a bombar com força e ela começou a gemer alto e pedia mais, então molhei meu dedo médio com saliva e comecei a forçar a entradinha do seu “cuzinho”, ela começou a rebolar e a forçar para meu dedo entrar mais, e entrou, aos pouco foi entrando tudo, tirei meu dedo, molhei o outro também e comecei a forçar novamente, foi mais difícil, ela contraiu-se um pouco, mas continuou rebolando até que aos poucos meus dedos também estavam dentro do “cuzinho” dela e meu “pau” na sua “chaninha” que por causa dos meu dedos atrás ficou mais apertada.
Ela rebolava sem parar e pedia mais, então comecei a bombar com força a sua “chaninha” e a fazer movimentos com meus dedos em seu “cuzinho” e ela chegava a gritar de tanto tesão.
Devagarzinho eu tirei meus dedos do seu “cuzinho” e tirei meu “pau da sua “chaninha”, ela olhou para mim com uma carinha de quem quer mais, tipo quando você tira um doce de uma criança, então falei pra ela que ela iria gozar de uma forma diferente, pedi para ela abrir novamente a sua bundinha e ela o fez, passei bastante saliva em seu “cuzinho” e no meu “pau” e disse no ouvido dela que eu ia comer o seu “cuzinho” e ela disse que era tudo o que ela queria que eu fizesse naquela hora e que o “cuzinho” dela era só meu e que sempre seria só meu, quando eu quizesse, mas pediu que eu fizesse como sempre eu fiz com ela, tudo com muito carinho.
Apontei meu “pau” na entradinha de seu “cuzinho” e fui forçando, não entrava, pensei que seria fácil porque já estava acostumado com meus dedos, mas não entrava, passei mais saliva no meu “pau” e no “cuzinho” dela e pedi para ela forçar também, me ajudar e relaxar.
Apontei de novo meu “pau” na entradinha do “cuzinho” dela e comecei a forçar e ela também começou a jogar seu quadril para traz e a rebolar devagarzinho e aos poucos fui sentindo seu “cuzinho” se abrindo e a aceitar meu “pau”, foi entrando bem devagarzinho, ela apertou minha perna em sinal de dor, eu perguntei se estava tudo bem, ela respondeu que sim, que era para eu continuar, ela continuou forçando e rebolando.
O que eu estava sentindo, é indescritível, seu “cuzinho” quentinho, muito apertadinho, não parecia que entraria nem mais um centímetro, engano meu, ao s pouquinho foi entrando mais, até quase que todo, comecei a fazer movimentos de vai e vem e ela rebolando, fiz com que ela levantasse suas costas e comecei a apertar seu peitinho e ao mesmo tempo masturbar sua “chaninha” que estava encharcada de tanto tesão, fazia até barulho, ela começou a rebolar mais ainda e a forçar mais ainda seu quadril para traz até que senti meu “pau” entrar tudo em seu “cuzinho”, senti sua bundinha encostar-se aos meus pelos....
Sério... não ficamos assim nem mesmo cinco minutos e foi a gota d’água para eu sentir ela se contorcendo e gemendo que estava gozando e ao mesmo tempo eu soltei entro dela todo o meu tesão que estava guardado, eu encharquei o “cuzinho” dela de muito esperma.
Continuei abraçado com ela, com meu “pau” ainda em seu “cuzinho”, pois meu “pau” não amolecia, chegava a doer de tanto tesão, beijei seu pescocinho e sua orelhinha e ela virou-se para mim, tirando meu “pau” do seu “cuzinho” dizendo que até com um pouco de dor foi tudo muito maravilhoso e que nunca mais queria saber daquele “malinha” sem alça e eu disse a ela que foi a noite, pelo menos momentos, mais deliciosos que eu tinha tido e que foi uma das melhores tansas que eu tive e que me considerava um cara de muita sorte.
Tomamos um banho delicioso, nos beijamos muito e trocamos algumas carícias embaixo do chuveiro ainda... nos trocamos e fomos embora, deixei-a próximo à casa dela, nos despedimos com vontade de quero mais, promessas de uma próxima vez e vim para casa, a sorte que quando eu cheguei, minha esposa já estava dormindo, entrei no banheiro, tomei outro banho, acreditem se quiserem, bati uma bela punheta, comi alguma coisa e fui dormir.

Eu, minha esposa e meu pai

Ola, o que vou contar aconteceu no final de semana.
Na minha casa mora eu, minha esposa e meu pai. No sabado eu e meu pai saimos e ficamos praticamente o dia todo fora enquanto a minha esposa arrumava a casa. Estava muito quente entao bebemos muito e quando chegamos em casa foi uma surpresa. A minha esposa estava dormindo no sofa so de calcinha. A le e uma esposa super dedicata e muito gostosa, de seios fartos e um bumbum maravilhoso. Ela estava num sono muito profundo o que deixava aparecer q ela estava super cansada. Eu e meu pai ficamos ali parado e meio pasmos de ver aquela cea maravilhosa a minha baixinha so d calcinha com os seios de fora aqueles seios grandes e rosados e aquela bunda grande ja q ela estava deitada d lado. Qdo me dei por por conta chamei logo o meu pai para irmos la para a varanda. Ficamos la tomando mais cervejas ate q a minha esposa apareceu enrrolada na toalha. Nos cumprimentou de toalha mesmo e diz q iria tomar banho. Depois do banho ela apareceu novamente d toalha e quando ela foi colocar a calcinha no varal a toalha caiu deixando ela dessa vez peladinha na nossa frente.
Assim q ela se enrolou na toalha perguntei a ela por qual motivo estava dormindo so de calcinha na sala. Ela me respondeu q por causa do calor ela deitou no sofa para descansar e acabou pegando no sonho ai ela me perguntou se tinhamos vistos eu respondi d que sim q eu e meu pai tinhamos entrado no sala e pegamos ela dormindo semi nua, ela ficou um pouco envergonhada mais ficou ali um pouco com nos ate irmos dormi. No domingo resolvemos nos tres fazermos um churrasquinho e tomarmos uma cerveja ja q estava muito calor. Na medida q fomos bebendo acho q o alcool foi subindo e ficamos mais soltinhos, eu e meu pai resolvemos tomar uma ducha e ficamos falando na cabeca da minha esposa p ela tomar tambem. Ela estava c um vestido branco daqueles bem soltinhos e sem sutia. Ela acabou aceitando e entrando debaixo da agua o que deixou o vestidinho meio transparente, nesse momento ve o meu pai babando no corpo da minha esposa, qdo ela viu q estavamos d olho nela ela resolveu sair rapinho mais eu pedi para ela voltar p agua pois estava muito gostosa. Com muito custo ela voltou para a ducha e mais uma vez voltamos a babar nela nesse momento resolvi aprontar fui p a ducha tbem e comecei a me esfregar nela ficando assim d pau duro e reparei q o meu pai tbem estava. Entao comecei a baixar a alca do seu vestido ela questionou mais eu aleguei q como ja tinhamos vistos duas vezes o q q tinha vermos novamente. Entao ela aceitou e fui descendo as alcas do seu vestido ate deixar cair por completo o seu vestidobdeixando ela so com uma calcinha preta bem pequena. Foi ai q eu dei a ideia d ficamos todos so d roupa intima. Mais esqueci q eu e meu pai estavamos d pau duro. Qdo minha esposa viu o tamanho do pau do meu pai o olho dela ate pulou p fora. Na verdade ele e mais ou menos do tamanho do meu mais ele e bem mais grosso. Reparei q qdo o meu pai entrou na ducha a minha esposa ficou o tempo todo olhando p ele. Cheguei bem pertinho dela passando a mao em seu seios e falei no seu ouvidinho, " vc gostou ne, esta doida querendo provar daquela rola " ela nao expressou nem q sim e nem q nao, mais ficou ali parada. Nesse momento ela foi la p debaixo da ducha novamente e de longe eu gritei pedindo ela para tirar a calcinha e ainda perguntei ao meu pai se ele nao tinha razao. Ele concordou e pediu realmente era p ela tirar ja q ela era muito gostosa e que ja tinhamos vistos uma vez pq nao podiamos ver novamente. Sendo assim ela tirou, nesse momento ficamos os dois com os paus ate estralando.
Nesse momento resolvemos tirar as cuecas e ficarmoa todos pelados, qdo a le viu a grossura do pau do meu pai ela ate babou. Ficamos um tempo ali bebendo. Depois peguei ela no colo dando um imenso beijo na boca e sentando ela na mesa. Foi nesse momento q ela se deitou na mesa ficando toda a mostra p nos dois. Eu e meu pai entao comecamos a passar a mao nela todinha e ficamos ali cada um chupando um dos seus seios, qdo eu comecei a chupar aquela xaninha toda peladinha ela comecou a tocar uma punheta para o joao e depois abocanhou aquele super pau q ela tanto queria. Foi exatamnete nesse momento q comecei a penetra la bem devagar eu senti ela ficar cada vez com mais tesao de ter dois homens ao seu dispor. Assim q ela gozou pela primeira vez coloquei a quatro no chao e abri bem a sua bunda para q o joao pudesse penetra la com forca do jeito que ela gosta. Ele foi penetrando cafa vez mais forte e ela gemendo sempre alto enquanto chupava o meu pau. Depois ela sentou na minha vara e ficou oferecendo o seu cuzinho para q o Joao assim a penetrasse e fizessemos um dp. Ficamos ali por bastante tempo aque gozamos cada um em um dos seus peitoes. Depois tomamos um banho os tres juntos na ducha mesmo.

Comi minha mãe e ela ainda acha que foi meu pai

Faz uns dois anos isso. Estávamos todos em casa na festa de ano novo. Tinha muitos parentes lá que há anos não nos visitavam, pq estavam todos brigados e tal. Como fizeram as pazes, estavam todos felizes, principalmente minha mãe, que tinha feito as pazes com um irmão que ela gostava muito, mas não se falavam há 5 anos. Bom, festa de reveillon, sabe como é né, muita fartura, aquela jacuzada toda abusando do champagne. Só que esse meu tio, que tbm tava muito empolgado (acho que ele comeu minha mãe tbm aquele dia), levou um monte de bebida que ele trouxe do paraguai, uisque e umas pingas diferentes, doces, tipo de frutas, que a mulherada adora. Porra, minha mãe encheu a cara, tava muito bebada e feliz. Teve uma hora que todos os tios se empolgaram e pularam na piscina (sim, tem piscina, mas é de pobre mesmo), minha mãe de branco, ficou com os mamilos aparecendo. MInha mãe é branquinha, tem mamilos rosados, uma barriguinha normal de mulher de mais de 40, pernas grossas, uma bunda boa, com gordurinhas claro, mas seios fartos e com bicos avantajados. Então ficou bem marcado. E como ela se molhou, ficou com frio e farol aceso. Cara, eu que tava chapado, fiquei com um tesão enorme. Enfim, ela meio que passou mal e depois de se secar, sem tomar banho, bebeu mais um pouco e foi deitar, enquanto a festa ainda rolava. Eu fiquei lá fora um tempoo, minha avo (mãe da minha mãe), quis ir embora, ela mora na cidade vizinha, dá uns 30 minutos de carro, ida e volta e meu pai, o único que tava sóbrio, foi levar. (ele não bebe). Nisso, depois de uns 40 minutois, fui ver como minha mãe tava, já com o pau na mão e vi que meu tio (esse aque minha mãe adora) tava saindo do quarto dela. Perguntei se ela tava bem e ele disse que sim, que tava só descansando. Entrei no quarto e vi que ela tava só com uma camisolinha preta deitada sem se cobrir, sem calcinha ou sutien. Tava deitada de barriga pra cima, com as pernas de lado, meio abertas. Dava pra ver toda a buceta branquinha e meio peludinha. Quando entrei ela meio que acordou e falou comigo como se eu fosse meu pai, perguntando se já tinha levado a minha avó embora. Disse que sim, apaguei a luz, ficou tudo escurasso, sem ver nada e deitei do lado dela. Virei ela de lado e deitei de conchinha. Comecei a roçar meu pau, que já tava duro como pedra. Ela começou a gemer e resmungar, que não dava pra fazer nada, pq alguém podia entrar. Então eu disse: "eu tranquei a porta, tá tudo bem, minha vadia". Dei umas boas dedadas na buceta encharcada dela de tesão, mas nem fiz ela chupar meu pau, fiquei com medo dela perceber a diferença ou vomitar, pois ela tava muito bêbada. Enfiei o pau com força de ladinho e ela gemeu no travesseiro. Virei ela de bruços e trepei em cima, socando lentamente pra não fazer barulho, ela gemia alto no travesseiro, por isso falei pra calar a boca. Depois coloquei de quatro, pois tinha essa fantasia, puxei o cabelo molhado dela com uma mão e estapeei a bunda com a outra. Depois soltei o cabelo, me coloquei mais por cima e agarrei pelo peito, tapando a boca dela de novo. Tava com muito tesão, não aguentei e gozei. Sem camisinha mesmo, pois é minha mãe né. E ela fez aquela cirurgia pra não ter mais filhos, então fiquei sussa. No final ela disse que tinha gozado gostoso, que fazia tempo que eles não trepavam tão gostoso. Logo depois ela apagou, coloquei minha roupa, dei uma lambida na xota dela, dormindo e saí. No dia seguinte ela tava toda carinhosa com meu pai e com meu tio. O tio eu acho que a comeu e ela sabe que foi ele, mas de mim ela nem desconfia.

Raspando a xoxota da enteada

Ola!!Hoje eu vou contar mais uma com a minha enteada. A Kika.. Era um sábado a Tarde eu estava vendo um jogo na TV e a minha enteada estava na rua e de repente ela chegou e foi logo tirando toda roupa e foi para o banheiro!! a Mara a minha ex e mãe da kika tinha saído para ir ao cabeleireiro!!!! Naquele momento eu pensei que ela fosse tomar banho, mas eu nunca ouvia a barulho do chuveiro!!!! No intervalo do jogo fui falar alguma coisa pra Kika e dei de cara com a kika aparando os seus pentelhinhos com uma tesourinha!!!!!! Fiquei olhando e ela aparando os ralos pentelhinos! Ai eu perguntei se podia ajudar!! Ai a Kika me deu a tesourinha e falou!!! Ha corta bem em baixo que eu não consigo ver!! Peguei e comecei aparar os fiapos de pentelhinhos que havia entre o seu cuzinho e a sua xotinha!! Era pouquinho, mas tinha alguns fios!!!!! EM BRINCADEIRA E FALEI!! Porque não raspa e sua xotinha todinha deixando ela lisinha???A Kika como era bem sem vergonha e safada deu uma risadinha e falou!!!! Ai não vai ficar muito feio!!!! Ai eu falei eu raspo pra você!! Ai ela concordou e eu pequei o meu pincel de barba deixando todo espumado e comecei a raspar!!! Ela de pernas bem aberta e eu raspando sua xotinha!!!! Logo percebi que ela já estava se torcendo de tesão e sua xotinha latejando pois já estava sentindo ela toda aguadinha!! Fui raspando e quando terminei que sua xotinha estava igual uma xotinha de bebe ai eu não resisti e fui de boca !!!! Foi só abocanhar a sua xotinha raspadinha ela foi ao delírio em um gozo fascinante!!!! Enquanto ela se torcia toda de tanto gozar eu ia lambendo ela todinha!! E nisso o meu pau estava latejando e ai foi a minha vez de sentar no acento do vaso sanitário e ela logo montou em cima do meu pau e começou a cavalgada e continuava a se torcer de tanto gozar... Quando eu estava pra gozar eu falei pra me chupar, pois estava sem camisinha!!!!! Ai ela abocanhou o meu pau e ficou no boquete ate eu me acabar de tanto esporar, que alias, ela sempre fazia questão de não deixar uma gota de porra fora de sua boquinha!! Isso era normal..!! Logo que se saciamos ela foi tomar o seu banho e em seguida ficou andando peladinha com sua xotinha lisinha e falando que nunca mais iria deixar eu raspar, pois ela falou que gostava mais com pelinhos!!!! No dia seguinte eu escutei a mãe dela falando o seguinte!! O que você fez raspou tudo? Raspou o pouquinho que você tinha!!!!.. Ai filha ficou tão feio!!!!! Ai eu perguntei!! O que e que foi?? Ai a Mara me falou!! A Kika raspou todinha sua xana!!..!! E eu fiquei na minha e Kika a só dava risada!!!!.....

Peguei a mulher do meu pai dormindo

Olá,primeiramente gostaria de me apresentar por esse ser meu primeiro conto nesse site.A muito tempo venho lendo contos e acabei criando coragem de relatar um fato que aconteceu comigo.Bom vamos as estaturas,eu tenho 20 anos meço 1,71 e peso 70 kg,sou bem malhado porque sou um daqueles ratos de academia,minha madrasta tem a mesma altura q eu,tem os cabelos claros olhos castanhos,os seios redondinhos porém pequenos,daqueles que cabem inteiro na boca e a melhor parte dela,a bunda,nossa ela tem uma bunda que é uma coisa,meu pai muitas vezes ja disse que só casou com ela por causa da bunda,porque ela é muito chata.
O que vou relatar agora,aconteceu comigo em um dia normal de churrasco de final de semana na casa da minha vó,todos nós da familia reunidos pra tomar aquela gelada e curtir um karaoke,enfim fazer bagunça,meu tio foi barman a vida toda então sabe fazer alguns drinks muito locos,minha madrasta,fascinada por eles,acaba sempre exagerando,e em um dia desses de muito sol,ela acabou bebendo demais e ficando com muita dor de cabeça,comunicando meu pai que iria deitar um pouco.Passada algumas horas,eu ja tinha bebido também além da conta,fui tomar um banho pra depois ir dormir um pouco,tomei meu banho tranquilo,sai do chuveiro com a toalha enrolada e entrei no quarto pra me trocar,quando acendi,vi uma cena que deixou meu pau igual pedra na hora,minha madrasta com aquela bunda maravilhosa pra cima com uma perna esticada e a outra dobrada,deixando a bucetinha toda a mostra,o problema é que ela estava de lençol e não dava pra ver a bucetinha dela,só a marca que a calcinha fazia no lençol fino,dando pra ver que se tratava de uma calcinha pequena toda enterrada na bundinha dela,eu fiquei loco,pensei alguem pode entrar,mas até ai,não sei quando terei outra oportunidade dessa,sendo assim,resolvi levantar o lençol um pouco,nada de ela se mexer,encostei um dedo na coxa dela e nada,estava em sono pesado vai ver por causa da bebida,com o tesão falando mais alto resolvi de uma vez tirar o lençol e sair de perto,caso ela acordasse,nem se mexeu,ai eu fiquei loco e comecei a massagear a bucetinha dela,que por sinal estava ensopada,será que ela estava fingindo pra ver até onde eu iria,com o coração batendo a mil,puxei a calcinha de lado e pela primeira vez,eu vi,aquela bucetinha rosada,apertadinha,um tesão,toda ensopada,resolvi arriscar,coloquei um dedinho dentro dela,foi ai que ela respirou bem fundo deu um gemido,ja imaginei a safada esta acordada e esta adorando,comecei um entra e sai com o dedo,ela começou a abrir mais a perna,eu então decidi fazer melhor,abri a bunda dela e meti minha lingua no meio da bunda dela chupando aquele cuzinho gostoso daquela bunda enorme,foi quando ela gemeu muito alto,eu estava batendo uma pra ela e chupando o cu dela,ela se virou pra mim e falou:me fode,que eu não estou aguentando mais essa tortura seu filho da puta,safado,eu tomei um susto e levantei,ela vendo meu pau duro do jeito que estava tratou de tirar minha toalha e começar o melhor boquete ja feito em mim na minha vida,ela chupava a cabeça,depois chupava as bolas e vinha lambendo até em cima,quando chegava na cabeça ela sugava um pouco e continuava mamando,foi quando eu percebi que iria gozar,mas não queria assim,falei pra ela virar de quatro,quando ela virou aquela bunda pra mim,eu já não estava mais importando se alguem podia entrar no quarto,a música da festa estava alta e todos achavam que ela estava dormindo e eu no banho,ela virou a bunda pra mim,olhou pra trás ja falando,me fode,mais fode com força,fode do jeito que o seu pai nunca vai conseguir me foder seu gostoso,sendo assim,pedi pra ela se abaixar o maximo que dava,encostar o rosto no colchão deixando a bunda o mais empinada possivel,foi quando coloquei a cabeça na bucetinha dela,nooooossa como era apertada,uma delicia,quentinha,quanto mais eu ia entrando ela ia dizendo sacanagens,quando chegou na metade,soquei sem dó até as bolas,ela deu um grito levantou e o rosto do colchão,olhando pra trás me disse,meu deus que cacete gostoso,enfia ele assim de novo,então eu tirei ele e coloquei de novo com força e ela começou a rebolar,dizendo o tempo todo,me fode meu filhinho gostoso,fode a madrasta,goza gostoso comendo minha bucetinha,comecei a bombar forte e ela começou a gemer muito alto e anunciou o gozo,ela gemendo daquele jeito e rebolando gostoso,não aguentei,disse pra ela que iria gozar também,ela mais que depressa tirou meu pau da buceta,virou e começou a bater uma pra mim,quando eu disse q ia gozar ela colocou meu pau todo na boca e sugou até deixar ele limpinho,quando terminou o serviço,deitou no colchão de novo e disse,se troque e volte pra festa antes que alguem venha procurar voce aqui,sai do quarto,como se nada tivesse acontecido,depois disso ela voltou a me tratar mal como sempre fez e nunca mais tocamos no assunto,mais ainda como o cu daquela safada gostosa.

Minha primeira vez anal com o meu primo

Meu nome é Rafaella, tenho 16 anos, sou loirinha de cabelos lisos e compridos, olhos castanhos, 1.78m, 54kg, seios médios durinhos e bumbum empinadinho.

A 1ª experiência com oral e anal rolou com meu primo, em agosto de 2005. Eu tinha 13 aninhos e ele 18. Sou louca por esse primo, apaixonada por ele desde 11/12 anos, mas nessa época ele ainda me achava muito pirralha, se bem que com 13 anos já tinha seios desenvolvidos e despertava desejo nos caras na rua, na escola. Mas eu esnobava todos, sempre fui metidinha.

Foi nas férias de julho de 2005 que o meu primo começou a reparar em mim. Percebia o jeito que ele me olhava quando eu tava de biquíni na praia. E euzinha tbm abusava dos shortinhos só para fazer com que me notasse. Ele tinha 18 anos, lindo, corpo sarado, todo gostoso!! Eu era (ainda sou) completamente apaixonada!!!

Era uma quarta-feira, 03/08/05, primeira semana de aula depois das férias. Voltei da escola com a minha prima Thaty, que nessa época tinha 14, e fui pra casa dela. Depois do almoço, a Thaty disse que ia dormir um pouco e o Thiago (meu primo) me chamou pra piscina. Sentei na borda da piscina, coloquei os pés na água e fiquei admirando ele. O Thiago me chamou pra nadar, mas falei que tava sem biquíni por baixo. Então me falou pra entrar do jeito que eu tava, mas eu disse que naum... po, nem dava, eu tava de shortinho e blusinha branca de alcinha, sem nada por baixo. Ficamos conversando e tal.

Até que ele me segurou pelas pernas e ameaçou me jogar, mas nem levei a sério. Ele falou “vou te puxar, fala duvida” falei que duvidava e ele me puxou e caí na piscina. “Ai, agora vc vai ver, vou te afogar”, falei isso e fui atrás dele, mas ele nadou pra fugir e ficamos naquilo de um empurrar o outro, até que percebi que ele não parava de olhar meus seios, que marcava bem a blusinha e quando notei tavam transparentes, imagina a cena... nisso a gente ficou se olhando, ele foi se aproximando, fechei os olhos e nos beijamos!!!! uhuwwwww!!! Que beijo delicioooooooso!!! Ainda consigo lembrar como se fosse ontem!

Ficamos um tempão nos beijando... as mãos dele levantavam minha blusa molhada e fui deixando até ficar sem a blusa e o Thiago já foi caindo de boca nos meus seios acariciando com a lingua os mamilos... uau, que delíciaaaa!! nisso ele me chamou pro quarto, porque minha tia podia nos ver ali, mas eu só tava a fim de beijar e disse que não, mas que poderíamos ficar na piscina da minha casa porque meus pais não estavam. Pedi pra ele pegar toalha e uma blusa dele pra mim e fiquei na água enquanto ele foi buscar.

Então me sequei, vesti a blusa e fomos pra minha casa, que é no mesmo quarteirão. Entramos e pedi pro Thiago me esperar na garagem. Meus pais trabalham, nem estavam em casa, e pelo visto meu irmão tbm naum, porque o carro dele não tava. Só estavam os empregados e talvez minha irmã (tinha 16). Entrei em casa, subi a escada, fui até o quarto da minha irmã, mas a porta tava fechada. Fui pro meu quarto e coloquei um biquíni vermelho, de lacinho, que eu adorava. Deixei um pouco cavadinho e acredita que até passei gloss pra entrar na piscina??? Rsrsrs! Desci correndo e fui até a garagem chamar o Thiago. Assim que me viu, disse que eu tava linda, foi me beijando e me levando pra parede. Meu primo apertava minha bunda e se esfregava gostoso em mim, tentou tirar o top do meu biquíni mas dei um empurrãozinho nele e corri pra piscina e ele veio atrás de mim.

Peguei a bola de vôlei que tava perto da piscina e joguei em cima dele e ele jogou de volta pra acertar em mim. E ficamos jogando um pro outro dentro da água até que numa disputa tentei tomar a bola dele, mas ele me imprensou na borda e ficou se esfregando atrás de mim, beijando minha nuca, acariciando minha barriguinha e subindo até apalpar meus seios. Senti um arrepio tão gostoso, ele ia se esfregando na minha bundinha e eu me mexia rebolando devagar. Uau, me amarro quando me pegam assim por trás!! Virei o rosto procurando os lábios do Thiago e voltamos a beijar. Então ele deu a idéia da gente ir pro meu quarto e topei na hora.

Subi primeiro pra ver se tava tudo bem e ele veio atrás de mim. Entramos na minha suíte, tranquei a porta e ele já veio me beijando e me empurrando pra parede! Aquele beijo quente, meu corpo ardia de desejo. Ele desamarrou o top do meu biquíni que logo caiu e ele já veio chupando meus seios... Ai, delicioooso isso! só fechei os olhinhos e deixei, tava muuuuito bommmm!! E enquanto chupava meus seios, eu ficava esfregando a xotinha no pauzão duro dele, eu tava muito úmida!!

Depois de um tempo me esfregando, o Thiago me levou pra cama, sentou e me fez sentar de frente no colo dele, continuando a chupar o biquinho dos meus seios, passando a língua ao redor, alternando entre os mamilos. Eu tava adoraaando! Ficou um tempo assim e me deitou na cama continuando a chupar meus seios e ia sentindo o maior arrepio com as mãos dele nas minhas coxas chegando bem na virilha, e eu só gemiaaaaaa... foi quando tentou tirar a tanguinha do biquíni mas não deixei, puxei ele e voltamos a beijar. Eu só tava mesmo a fim de beijar. E ficamos beijando de ladinho.

Enquanto nos beijávamos, o Thiago pegou minha mãozinha e levou até seu pênis. Quando senti aquilo duro me assustei e tirei a mão na hora, mas ele pediu que eu ficasse acariciando. Perguntou se eu já tinha visto e eu disse NUNCA! ficou querendo que eu visse como que tava duro, mas falei “ai Thiago pára com isso, se comporta!..” levantei e falei que era melhor a gente descer e fui procurar o top, mas ele me abraçou por trás dizendo que ia se comportar e ficou beijando minha nuca, me virei de frente e voltamos a beijar. Ele foi me levando de volta pra cama e me deitou, e enquanto me beijava encostou os dedos na minha xotinha e começou a me masturbar! uau, fico molhadinha soh de lembrar!

E foi descendo a língua pelos meus seios, barriguinha, chegando na virilha... eu gemia gemiaaaaa... ele arriou a tanguinha do meu biquíni e encostou a língua bem no grelinhooo! Nossaaaawww e começou a me chupar!!! Uau, tava muuuuito muito gostoso, eu me contorcia, gemiaaaaaa muuuuitooooo, nunca tinha sido chupada!! meu corpo começou a tremer sem parar e gozei com meu primo me chupando!!! então ele foi deitando por cima de mim tentando me penetrar, mas na hora bateu medo. Eu amava o Thiago, mas naum tava a fim de transar e falei pra parar! Tentei levantar, mas ele me puxou pra cima dele, ficou me beijando e pediu pra beijar o corpo dele todo também. Nossa, aquele homem lindo deitado na minha cama completamente nu e nem era sonho, fiquei só admirando... e comecei a acariciar seu peito enquanto ia passando meus lábios pelo pescoço e descendo até o peito... e ele falava “isso Rafinha vai descendo” beijei a barriga e olhei assustada pro tamanho do pênis dele... grande, grosso, duro, 19cm! Foi quando o Thiago disse que adoraria sentir meus lábios ali no pau dele. Arregalei os olhos e fiquei sem saber se fazia ou nao fazia, mas ele ficou insistindo...

Pediu pra começar acariciando com as mãos e pra agradar segurei seu pênis e comecei a fazer. E ele ficou me ensinando a masturbá-lo. Fui vendo que ele curtia e continuei fazendo. Então me pediu pra beijar e encostei os lábios na cabecinha e fiquei passando a língua ao redor... e ele falava “isso, Rafa, me chupa vai” e soh pelo gemido dele me deu vontade de continuar e comecei a chupar pra valer, mas ainda desajeitada. Ele segurava minha cabeça e ia me ensinando... ele gemia e dava mais tesão ainda. Tava gostando mesmo de chupar, de sentir o gosto dele e continuei... “isso Rafa chupa, que gostoso...” eu fecho os olhos e ateh me lembro dele falando isso. Fiquei um tempo chupando ateh que ele falou “isso Rafinha, nao pára que vou gozar na sua boquinha” Eu sei lá o que era isso e continuei chupando amarradona, até que veio o primeiro jato direto na minha garganta! muito inesperado veio aquele monte de porra na minha boca e nem sabia se cuspia, se engolia... como já tinha engolido um pouco acabei engolindo tudo com a maior cara de nojo. Ecaaaaaaaaaaaaa rsrsrs

O Thiago começou a rir e eu que era bem nojentinha, imagina a minha cara... corri pro banheiro pra lavar a boca, depois coloquei novamente o biquíni e fui até a cozinha pegar um copo de suco pra ver se tirava aquele gosto da boca e aproveitei pra ver se a barra tava limpa pro Thiago descer...

Parte 2 - meu primo comeu meu cuzinho

Voltei pro quarto pra falar pra gente descer logo, mas o Thiago tava atrás da porta e meu deu mó susto!!! Ele tava pelado ainda, me agarrou e ficamos beijando encostados na parede, aquele beijo quente, gostoso. Ele apertava minha bunda e acariciava. Ai, adooooro isso de montão!! adooooooro mão na bunda durante o beijo! Ele me fazia esfregar a xotinha no pauzão duro dele e ficava tentando arriar a tanguinha do meu biquíni, mas isso eu naum deixava. Tava muito gostoso ficar me esfregando nele, tava até dando vontade de transar, mas ao mesmo tempo tinha medo, naum queria perder a virgindade.

Meu primo me virou de costas e novamente me deixou sem o top, beijando meu pescoço e acariciando meus seios enquanto esfregava o pau na minha bundinha, apertando seu corpo contra o meu e me imprensando na parede. Ele ia se esfregando mais forte, eu sentia o seu calor, meu corpo também ardia, eu gemia e rebolava, esfregando minha bundinha no seu pau. Então o Thiago começou a arriar minha tanguinha, falando que eu tava deixando ele louco, que tava doido pra meter na minha bundinha... eu nem falava nada, soh gemia gemiaaaaaaaa... e deixei que arriasse minha tanguinha.

Virei de frente nuazinha, segurei seu pau e ficamos beijando, dessa vez ele com as costas na parede e euzinha de frente. Fazia o pênis duro roçar na minha xotinha, dava muito tesão isso!! O Thiago me fez virar de costas e ficou esfregando o pauzão na minha bunda e também na xotinha, então me segurou firme pelo quadril e me levou pra cama, me pedindo pra ficar de quatro e empinar bem a bundinha.

Fiquei de quatro na beirada da cama, meu primo acariciou minha bunda, me falando pra rebolar, encostou a cabecinha do pau na entrada do meu rabinho e ficou esfregando, beijando minha nuca e me acariciando com uma mão em cada seio e eu mexia, gemiaaaaaaaa! ele colocou os dedos na minha xota e ficou me masturbando e depois comecei a sentir a língua dele... uuuuuiiiiiiii e fiquei mexendo, esfregando minha xotinha em sua língua. Então comecei a sentir seu dedo molhado no meu cuzinho e perguntou se eu tava gostando, eu disse que simmmmm. Ele enfiava o dedo devagar no meu cu, me fazendo gemer muuuuuuuuito, depois senti dois dedos entrando e soltei um gemido mais forte!! ele ficou um tempo soh brincando com os dedos no meu cuzinho... então senti seu pau roçando na minha xaninha! Se ele quisesse meter aí na xota eu juro que deixava, tava tão gostooooooso, mas ele só esfregava me provocando. Então começou a roçar no meu ânus e ficou um tempinho só com a cabeça do pau esfregando na entrada do meu cu. Eu rebolava, gemiaaaaaaaaaaaaaaa...

O Thiago me pegou forte pelo quadril e começou a forçar pra meter, mas pedi pra ele continuar soh esfregando que assim já tava gostoso. Implorei pra ir devagar mas ele continuava a forçar, me pedindo pra empinar mais a bundinha e foi forçando, forçando e começou a doeeeeeeeer e doía bastante. “Aaaaaiiiiiiiiiii, devagar, assim dóiiiiii!” mas ele nem quis saber e continuou a forçar e fui sentindo ele entraaaaaando e rasgando meu cuzinho... “aaaaaaaaiiiii pára pára, tah doeeeeeeeeeeeendo” ele me falava pra aguentar e ele ia forçando mais e mais... eu chorava, pedia pra parar, foi quando ele parou, perguntou se tinha creme hidratante no banheiro da minha suíte e foi pegar. Continuei de quatro, então olhei pra trás e lá vinha ele com o frasco de loção hidratante e pensei comigo “ai, não acredito que ele vai passar hidratante no meu cu...” E comecei a sentir seus dedos, cheios de loção hidradante, penetrando meu ânus, ele encheu meu cuzinho de hidradante. Em seguida, encostou o pau na entrada e aí meteu pra valer!! Senti entrar tudo e logo começou um vem e vem, devagar no começo, mas logo depois acelerando e bombando cada vez mais forte... “aaaaaaiiiii aaaaaaiiiiiii” eu gemia e dava gritinhos abafados com o rosto no travesseiro, nossa, como doía!! depois me fez deitar de bruços e continuou metendo, bombando bem forte ateh gozar dentro do meu cuzinho!! Ainda ficamos deitadinhos por um tempo, o Thiago ficou me fazendo carinho, falando que tinha adorado comer meu cuzinho.

Nossa, doeeeeeeu muuuito, putz! mas adoro ficar lembrando desse dia!!!

Euzinha nem curti muito anal da 1ªvez, só fui fazer novamente quando meu primo comprou lubrificante KY e me convenceu que facilitava a penetração, além de ser próprio pra isso, diferente da loção que ele usou. Daí achei gostoso, principalmente pela sensação se ser possuída, dominada. E comecei a curtir e a dar direto também porque o Thiago falou que a namorada dele naum curtia, então eu dava o cuzinho sempre que ele queria. Hoje eu adoro!!!

Comendo a vovó gostosona nas férias

Era verao, e como sempre eu nao tinha nada planejado, a nao ser dormir ateh tarde como de costume. Minha mae porem estava ja cansada da minha vagabundagem e me arrumou algo pra fazer. A minha voh ia comecar a aprender a jogar bocha no clube e minha mae sugeriu que eu dirigisse e buscasse e levasse vovo at o clube. Eu ja sabia jogar um pouco de bocha, e vovo pediu que eu desse algumas dicas de iniciante para ela.
Quando chegamos no clube eu reparei bem na minha vo. Ela era um pouco encorpada e tinha seios gigantescos. Eu ja tinha notado isso antes, porem isso nunca havia me excitado. Mas naquele dia nao sei porque, o meu pinto resolveu ficar durao. Aqueles meloes dela estavam quase esparramandos para fora da blusa justa que ela usava. Ela tambem usava um shorts vermelho, que realçava suas pernas fortes e uma bunda grande porem enxuta. Achei meio errado ficar excitado e por isso tentei controlar os meus pensamentos.
Quando chegamos na cancha, eu fui por traz da minha vo para mostrar como arremessar a bola. Senti aquelas pernas deliciosas tocando as minhas e percebi como seria dificil controlar os meus impulsos sexuais.
Depois de alguns arremessos sozinhos vovo ainda nao conseguia executar a tecnica corretamente, entao mais uma vez fui atraz dela para demonstrar a forma e movimento corretos, agora eu rossava o meu pau durao naquela bunda grande. Eu ja me dava como satisfeito e decidi que mais tarde ia bater uma punheta pensando nessa experiencia. Eu queria ir pra casa o mais cedo possivel pra poder bater uma punhetinha bem gostosa enquanta ainda tava com essas cenas na memoria ainda. Era um dia quente e eu sabia que logo logo vovo ia querer ir embora.
Levei vovo para sua casa , era finzinho de tarde, mas a temperatura continuava altissima. Vovo perguntou se eu queria mergulhar na piscina. Eu aceitei.
Entrei na piscina de cueca, e resolvi bater uma punheta ali mesmo na parte mais rasa aonde havia uns degraus nos qual eu podia sentar. Vovo entrou pra dentro de casa e eu nao esperava que ela voltasse, ela nao era muito chegada em nadar. Porem 5 minutos depois eu vejo ela saindo, vestindo um maio preto com um decote mostrando aqueles peitoes deliciosos. Eu na hora fiquei excitado e assustado ao mesmo tempo, ela tinha acabado de me flagrar batendo uma punheta.
Ela fingiu que nao tinha visto nada e entrou na piscina. Ela puxou as alcas do maio pra baixo, e eu conseguia ver o comecinho do contorno dos mamilos, ela se jogou pra traz e fechou os olhos. Naquela hora tava com o pau durasso, e nao conseguia mais me controlar. Me aproximei dela, puxei uma de suas alcas do maio mais para baixo, revelando um de seus enormes seios e comecei a chupa-lo. Querido, vc esta um tanto excitado, nao eh mesmo? disse ela enquanto firmemente apalpava por cima da cueca o meu pau duro por cima da cueca.
Vovo tirou meu pau pra fora da cueca e comecou a bater uma punheta pra mim,embaixo d'agua. Entao me levantei e coloquei meu pinto entre aquelas tetas deliciosas. Ela apertava os seios com as maos espremendo o meu pinto enquanto eu movia meus quadris pra cima e pra baixo. Vamos pra dentro, ficar mais confortavel-ela disse.
Me sentei no sofa e ela sentou em cima do meu pinto. Ela comecou a cavalgar o meu pinto e depois de uns minutos soltou- Vc e bem melhor q o seu avo! Eu mal prestei atencao ao que ela falou, estava me concentrando pra nao gozar, aquela buceta era muito gostosa.
Mudamos de posicao, ela de quatro, enquanto eu metia e segurava aqueles meloes por traz. Eu sentia que eu nao ia mais conseguir segurar e gritei - Vou gozar!
Tirei meu pinto da buceta dela, virei ela e enfiei meu pinto na sua boca. Jamais tinha sentido algo tao magico. A lingua da vovo massageando a cabeça do meu pau era como estar no ceu. Soltei 4 jatos na sua boca, e ela engoliu a porra todinha. Entao me deitei na cama do seu lao e perguntei - Mesmo horario semana que vem?

Comi a namorada do meu neto

Primeiro deixe me apresentar Meu nome é Sr. António estou com 56 anos tenho 1:68 cm sou moreno claro corpo atlético e viril adquirido em muitas horas de academia. A namorada do meu neto tem 21 anos, 1:60 cm altura, uns 60kg um belo e enorme par de tetas um rabão maravilhoso e uma boceta bem inchada e carnuda. O que aconteceu foi em uma 2º feira todos haviam saído bem cedo acordei por volta das 7:00 mais já atrasado para a fisioterapia, a quero dizer que estava fazendo um tratamento por ter caído do cavalo, pensei que estava sozinho em casa moramos minha esposa, meus 7 filhos e meus 2 netos em um sitio da família, como estava atrasado mesmo resolvi tomar uma ducha e assistir a um filme pornô. Tomei o banho e fui para o quarto coloquei a fita no VCR e fui pegar a roupa que usaria no dia. Separei a roupa e fiquei assistindo ao filme que era de uma loira que trepava com dezasseis crioulos, cada um com o cacete maior que os outros. Vendo as cenas do filme peguei no meu cacete que já foi ficando duro. Comecei a bater uma punheta, de repente a porta do quarto se abriu era a namorada do meu neto entra com tudo no quarto dizendo que também estava atrasada e que entrou no quarto para pegar uma blusa da minha filha emprestada, como a minha calça estava perto rapidamente peguei e cobri meu cacete e desliguei o VCR. Palmira foi até o guarda roupas pegar a tal blusa e fiquei observando aquele rabo. Já estava acostumado com as roupas que Palmira usava apesar de Palmira ser gorda sempre usa roupas bem apertadas mais neste dia estava usando um short de lycra super apertado acho q estava sem calcinhas, pois dava para ver os lábios da boceta pelo shorte com uma camisa regata sem soutien. Fiquei olhando para Palmira e resolvi atacar, me levantei fui até Palmira que estava de costas para mim e soltei a toalha e fiquei esperando que se virar, quando Palmira se virou me perguntou o que estava fazendo lhe respondi. Faz tempo que ando com vontade de te comer e hoje não perco está oportunidade por nada na vida. Palmira me perguntou pela minha esposa lhe falei para Palmira se não falar nada também não vou contar, e fui atacando. Comecei a passar o meu cacete nas pernas de Palmira que ainda esta vestida, então fui alisando os melões por cima da camiseta e Palmira já nem tocava mais no assunto. Tirei a sua camiseta e o seu short deixando Palmira peladinha na minha frente, comecei a admirar o seu corpo, era bem gordinha mais muito gostosa e tesuda pois e o meu fetiches. Mandei Palmira se deitar na cama pois queria chupar a boceta, Palmira prontamente se deitou e abriu as pernas me dando a visão daquela boceta gorda e pentelhuda,fiquei admirando e caí de boca na sua boceta. Palmira agarrou a minha cabeça e ficou pedindo para eu chupar o que chupei até ficar com dor na língua, fiquei em pé e falei para Palmira agora vai chupar meu cacete, quando Palmira viu o tamanho me disse nossa que cacete quanto mede esta gostosura, lhe disse 20x4cm. Palmira se sentou na cama pegou no meu cacete ficou olhando e falou: Nossa e por isso que de vez enquanto passava pela porta do seu quarto e escutava sua mulher gemendo. Palmira me perguntou se a minha senhora aguentava meu cacete todo na boceta. Lhe respondi que sim mais reclamava um pouco. Palmira me falou também aguentar um cacete deste deve ser bem difícil. Ai lhe falei para Palmira que logo ia poder falar por experiência própria. Palmira me olhou e falou você não pode fazer isso ainda sou virgem, lhe falei para Palmira então era, porque vou tirar o seu cabaço. Palmira me disse mais o seu cacete é muito grande não vou aguentar, lhe disse você não queria saber se era difícil pois então vou ter que mostrar. Mandei Palmira se deitar de novo e abrir as pernas o máximo que pudesse. Palmira se deitou e ficou me olhando com cara de menina inocente, me ajoelhei no meio das coxas passeio dedo na boceta e vi que estava molhada, peguei meu cacete de 20x4cm e comecei a passar na entrada da sua boceta, como Palmira era virgem e gorda procurei o grelinho e fiquei passando a cabeça do meu cacete, que ficou coberta pelos grandes lábios. Fiquei esfregando até deixar Palmira mais melada ainda, então segurei firme o meu cacete e mirei na portinha da sua boceta e comecei a penetrar com muito cuidado pois de fato era apertado e não só poderia machucar como a mim também. Nossa que boceta apertada, quando a cabeça entrou Palmira deu um pulinho na cama, falei para Palmira ficar calma que só havia entrado a cabeça e que agora iria colocar o resto. Segurei nas suas pernas, olhei para aquela boceta gorda e não tive dó enfiei com tudo. Palmira começou a chorar e mandou e parar que não queria fazer mais lhe disse você chegou até aqui agora e só abrir bem as pernas e deixar enfiar tudo, agora vai aguentar até gozar na tua boceta minha linda e futura neta. Palmira me pediu não faz isso que você vai me arrombar e seu neto vai perceber. Mal sabia Palmira que também já comi a avó dela. Então comecei a bombar dentro da boceta e Palmira me pedindo para não colocar tudo sem dó nem piedade fui metendo até sentir meu saco batendo na sua bunda, Mais depois de umas 10 bombada Palmira relaxou e começou a falar loucuras. Vai seu filho da puta , come minha boceta pois agora quem quer levar esse cacete na minha boceta. E se você não me comer sempre te entrego para sua esposa aquela velha coroca e falo que você me comeu à força lhe disse pode contar sua vagabunda. Não resisti àquelas palavras e fodi Palmira que nem um porco imundo, meti nela até meu cacete ficar inchado, quando não aguentei mais falei lhe que iria gozar, Palmira falou então faz o serviço completo goza dentro da minha boceta. Bombei mais um pouco e gozei dentro da sua boceta. Nossa foi maravilhoso encher aquela boceta gorda com minha porra, quando tirei o cacete de dentro saiu uma quantidade enorme de porra, pois Palmira também havia gozado no meu cacete como a mesma disse foi gostoso era só ver como ficou o lençol todo sujo de porra mesturado com sangue da sua bocetinha, ai fomos tomar banho e dei mais uma chupada na sua boceta que por causa da foda esta inchada mais muito gostosa, como já era quase meio dia me arrumei e fui para fila do INPS, com a cara mais senvergonha do mundo como um moleque que usa o seu brinquedo e gosta de dar para os outros brincar com ele não sei se vocês vão me entender. Depois desse dia Palmira não larga mais de mim. Sempre que surge uma oportunidade, Palmira arruma um jeito para mim comer a sua boceta. Certo dia não resisti e pedi para comer o seu cuzinho. Mais esta fica para outra vez, mais quero dizer a vocês garotas que olha para nos velho achando que não damos no coro se engana viu, não fique achando isto senão vocês vai ter uma surpresa como teve a Palmira que agora não larga do meu pé, olha que vai se casar com meu neto.

Eu vi meu primo fodendo minha mãe

Oi. A história que contarei é verdeira e aconteceu quando eu tinha 15 anos.
Moro em um sobrado na parte de baixo com meu pai ,minha mãe e meu irmão. Em cima mora o sobrinho de minha mãe com a esposa dele e seus dois filhos. Meu primo tinha na época 33 anos mas nem parecia, é um moreno e muito bonito e embora eu o achasse um gato nunca havia pensado q podesse rolar alguma coisa entre nós.
Certo dia eu subi a sua casa para pegar um cd emprestado, quando subia as escadas começei a ouvir alguns gemidos q vinham do quarto dele, pensei q estivesse transando com a esposa e resolvi olhar, minha surpresa foi enorme, quando olhei pela janela pude ver minha mãezinha de quatro, na quina da cama,com meu primo em pé atrás dela mandando ver na sua buça.Minha mãe é uma mulher bem atraente, morena, pernas grossas, 40 anos (na época), mas o que mais chama atenção nela é o seu traseiro, (aliás puxei ela nisso), bem, voltando, na hora fiquei indignada:pô! meu pai trabalhando e minha mãe dando pro sobrinho, fala sério. Mas o prazer q minha mãe estava sentindo começou a me fascinar, eu já havia visto ela dando pro meu pai mas alí era diferente, mamãe estava toda arreganhada enquanto meu primo socava a rola pra dentro, eu pude ver ele a virando de barriga pra cima, tipo um frango assado,pôs as pernas dela por cima dos ombros dele, deu uma envergada nela e afundou aquele pau todo de novo, minha mãe gemia muito de prazer, minha xaninha estava muito molhada, pude ver claramente minha mãezinha gozando, ele então a colocou de quatro de novo, pegou um frasco com um líquido e derramou sobre a bundinha de mamãe começando a lambuzá-la, vi ele massageando a entrada anal de minha mãe, enfiou um dedo e depois outro no cuzinho dela que gemia e pedia para ter o rabo fodido, eu não tava acreditando naquilo, minha mãe era uma puta safada, meu primo então foi se posicionando atrás dela mais uma vez mas dessa vez guiou seu pau pro cuzinho dela que piscava muito doido pra ser comido, meu primo foi colocando a cabeçinha para delírio de mamãe, suas preguinhas foram cedendo pouco a pouco, delicadamente ele foi introduzindo todo aquele caralho dentro dela até desaparecer, quando seu pau estava todo dentro dela eu pensei q fosse tirar para enfiar de novo começando a socação mas estava enganada, meu primo sabe realmente como comer um cú, ele ficou alí parado com o pau todo dentro do rabo de mamãe, ela pedia pra ele socá-la mas ele ficava parado, ela começou a ficar impaciente e pedia pra ele socá-la mas ele permanecia parado, ela então começou a implorar a ele coisas como: fode meu cú, enche meu rabo de leite, me rasga toda. e começou um movimento de vai-e-vem ela mesma aí ele travou-a abriu as pernas dela mais ainda deixando-a toda esposta, foi tirando a pica lentamente e depois deu uma socada forte arrancando um gritinho de minha mãe, finalmente ela estava sendo atentida, seu cú estava sendo comido, meu primo parecia até um bate-estaca atrás dela, com as mãos segurava-a pelas ancas e socava com força, minha mãe anunciou que iria gozar e pediu q ele gozasse junto, começaram os dois a urrar de prazer minha mãezinha mais uma vez gozava meu primo inundou seu rabinho de porra, eu q a essa altura me masturbava tb acabei gozando alí mesmo bem baixinho, ainda pude ver minha mãe abocanhando aquele pau sujo de porra e limpando-o todo, resolvi descer antes q alguém me visse.

Fodendo a sobrinha no busão

O fato que passo a narrar aconteceu em 1988, quando morava em SP, e como fui demitido, resolvi voltar para Salvador, para morar com meus pais. Morava com meu irmao mais velho,minha cunhada e minha sobrinha, que tinha na época 14 anos de idade. Como meu irmao também queria voltar a morar na Bahia, resolveu que sua filha viria comigo, enquanto ele organizava as coisas para o seu retorno. nunca olhei para minha sobrinha com olhos maliciosos, mas fiquei excitado só em pensar que ficaria sozinho com ela, durante várias horas, pois viajaríamos de onibus. A partir daquela data prestei mais atencao naquela ninfetinha, moreninha, com o corpo já formado, peitinhos arrebitados, bundinha redondinha. Embarcamos, nossas poltronas eram as últimas, e pra falar a verdade nao tive coragem de tomar iniciativa nenhuma... GELEI. Lá pelas tantas, quase cochilando, senti a mao de minha sobrinha alisando meu cacete, deixei para ver até onde ela ia. Um sentimento de culpa me fez pedi para que ela parasse, mas ela se surpreendeu e disse que há muito tinha vontade de fazer coisas piores comigo, que nao era nada demais, que me olhava pela fresta do banheiro quando eu tomava banho e ia pro meu quarto quando todos dormiam... me encorajei e abri o zíper, pedi para que ela continuasse... ela começou batendo uma punheta gostosa, levei sua cabeça em direcao ao meu pau e ela abocanhou minha rola, mordiscando a cabeça e chupando gostoso...Quase Gozei.meti a mao no meio das pernas dela e senti a umidade daquela buceta cheirosa, molhadinha, me dizendo "vem meu tio, me chupa". Nao dava para fazer nada... as poltronas eram muito proximas e ainda haviam alguns passageiros acordados. Lá pelas tantas, silencio total, resolvemos recomeçar nossa brincadeirinha, minha sobrinha novamente abocanhou meu pau, e fazia um vai e vem gostoso com a lingua em volta da glande enquanto eu tocava uma siririca para ela... nao resisti e pedi para que ela fosse para o banheiro do onibus, eu iria atrás, ela aceitou.. mas disse que era virgem na buceta, mas me daria o cu, pois já havia dado o cuzinho a um colega de classe e queria repetir a dose comigo. Chegando no sanitario do onibus, minha sobrinha sentou no vaso sanitario e continuou a chupar meu cacete, depois sentei no vaso e ela sentou na minha vara, meu pau entrou rasgando no cu da sacaninha... já estava louco de tesao. levantei, virei minha sobrinha de costas para mim e meti no meio de suas coxas, ela deu um urro de prazer, gozou quando comecei esfregar minha rola em seu clitoris... botei saliva na cabeça do pau, e comecei, novamente a enfiar naquele buraquinho, minha sobrinha ajudava forçando para tras, gemia de prazer, mas sabia que era perigoso gritar... nao resisti e dei a maior gozada da minha vida, inundei o cu da putinha de porra, até fiquei com as pernas bambas de tanto gozar, ela gozou junto comigo e mordia os lábios para nao gritar... terminamos e fomos nos acomodar... Hoje estou casado, minha sobrinha está casada, mas ainda damos uma escapadinha, pois o tesao ainda rola entre nós... só nós sabemos do nosso casó, pois somos discretissimos e insuspeitados...

Fodendo a filhinha taradinha da minha namorada

Eu na epoca tinha 20 anos namorava uma coroa de uns 38 , ela tem duas filhas que na epoca tinham 17 e 19 anos. Eu comeria qualquer uma das duas a qualquer hora, tao gostosas que elas eram. Minha namorada sempre me dizia que, se em algum momento eu descobrisse que tivesse rolando um clima qualquer por alguma das filhas dela ela imediatamente sairia de cena e me deixaria seguir em frente com a filha. Eu tava acostumado dormir la todo final de semana, ia sexta e so voltava pra casa na segunda depois trabalho. Nos finais de semana era de pau dentro o tempo todo, a bucetinha da coroa que era uma delicia, eu nao sei o que ela fez mas era apertadinha e muito cheirosa. O pau na segunda tava ate esfolado. Muitas vezes quando acordava de manha no sabado eu dava de cara com a filhinha mais nova so de pijaminha ( shortinho de cetim e camiseta de alcinha tambem de cetim, ela e magrinha com tudo na medida) detalhe sem calcinha nem sutiã. Eu ficava louco so tomava café com a filhinha e ja entrava no quarto de novo e metia a pica na coroa imaginando aquela gostosinha da filha dela. A filhinha parecia fazer aquilo com alguma intencao que eu nao fazia ideia. Quando ia limpar a casa a filhinha so com aquele pijaminha abaixava pra lavar o pano e deixava a mostra aqueles peitinhos medios, tao duros que pareciam de pedra. A coroa nao gostava muito de fazer as vontades da filhinha mais nova, entao de vez em quando rolava uma intriga entre as duas, como a mais nova nao saia muito de casa, tava la toda noite de sabado eu a coroa e a filhinha mais nova, assintindo um dvd, ou tomando uma cerveja e tirando o gosto com caldo de mocoto, a filhinha gosta muito de agradar as pessoas ao seu redor. Certo dia rolou uma intriga entre as duas, mas dessa vez foi mais serio um pouco elas nao estavam se falando e a noite so ficou eu e a filhinha na sala tomando um caldo de milho, e conversa vai conversa vem, rolou um clima, mas tava muito tarde tinhamos tomado algumas e fomos dormir e nao rolou nada. No outro dia acordei bem cedinho e fui tomar um banho quando chegeuei na cozinha la estava a filhinha, com uma sainha bem curta, e uma mini-blusa bem coladinha e tomara que caia, a coroa estava dormindo. Ela nao perdeu tempo e retomou o assunto picante da noite anterior e ja me perguntou logo se eu tinha conseguido fazer alguma coisa durante a noite com a mae dela, respondi que nao pois a coroa tinha trabalhado muito durante a semana e estava muito cansada, ela me disse que quase nao tinha dormido durante a noite, eu perguntei logo o porque. Ela disse que ficou imaginando a noite toda se eu estava comendo sua mae no quarto ao lado e ela la sozinha, em brasa, maluca de tesao. Quase nao tive reacao, mas o estinto falou mais alto e respondi com outra pergunta, pq nao me chamou pr air pra o seu quarto pois passei noite toda de pau duro e a coroa ate roncando do meu lado. Ela me disse, ela ainda ta roncando la no quarto dela e meu tesao so vai acabar na hora que vc me pegar de jeito. Fiquei quase louco, peguei-a pelo braco e tasquei um beijo naquela boca branquinha dela, ela correspondeu na hora e me puxou pro seu quarto. Me jogou na cama e comecou a me dar um trato, me lambia a boca, o pescoço, parecia uma gatinha me lambendo. Foi descendo pelo meu peito, lambia meus mamilos, meu pau a essa hora tava ate trincando. Ela continuou descendo me unhava bem de leve e me dava umas modiscadas foi descendo ate chegar no volume da minha bermuda (estava sem cueca) ela comecou a morder a cabeca do meu pau por cima da bermuda mesmo, dizendo um monte de besteiras. So abaixou a blusinha tomara que caia e comecou a esfregar aqueles peitinhos durinhos na minha cara. Fiquei quase louco e comecei a morder o biquinho, lamber chupar, tentava colocar ele todo na boca, parecia um esfomeado. Ela ja gemia de tesao, a essa altura ela ja estava montada em mim. Eu acariciava suas costas, apertava a bundinha dela, e ela ficava rebolando em cima de mim, e falando que era louca pra trocar de lugar com a mae dela, nisso ela levantou e foi virando a bunda pra mim, disse que queria gozar na minha boca enquanto chupava meu pau. Que delicia um 69 com aquela ninfeta, quase nao acreditava que tantas vezes desejei aquele corpinho, agora estava ali, enfiando minha lingua naquela bucetinha todo molhada, e cheirando aquele cuzinho delicioso. Ela nao parava de me chupar e comecou a morde forte na cabeca do meu pau, mordia o meu saco, colocava uma bola toda na boca depois a outra, parecia uma bezerrinha desmamada. Ja fazia uns dez minutos que estavamos ali naquele delicioso 69 quando ela comecou a gozar, virou rapidamente e sentou no meu pau, quero lambuzar ele todo com meu melado, pedia pra eu dizer que ela era mais gostosa que a mae dela, que fazia mais gostoso ela ou a mae dela, ela gozou por um bom tempo eu ainda estava firme. Ela pedia pra eu ficar de pe e ela deitada na cama de quatro com os peitinhos encostados no colchao, abriu bem a bundinha e disse, olha so o que ainda tenho pra vc, agora que me fez gozar tao gostoso, vou te dar a opcao de escolher, no meu cuzinho apertadinho ou na minha bucetinha toda melada, falei que ia escolher o que tivesse mais saboroso, entao comecei lamber aquele cuzinho minuscule e lisinho, depois abaixava um pouquinho e passava a lingua desde o grelinho ate o cuzinho, sem pressa eu a fiz gozar novamente na minha cara, ela disse que agora nao tinha escolha mais. Teria que come-la naquela hora sem demora, entao eu coloquei o pau na entradinha da bucetinha dela e com o polegar comecei a forcar a entradinha daquele cuzinho, fui colocando o pau bem lentamente, na bucetinha e o polegar no cuzinho, ela rebolava e contorcia de tesao, dei algumas bombadas na bucetinha quando ela ameacou comecar o movimento pra frente e pra traz eu a segurei, e disse pra ter calma, meu dedo ja estava todo atolado naquele cuzinho iniciei movimentos circulares, tirei o polegar daquele cuzinho apertado, tirei o pau da buceta, e coloquei na entrada do cuzinho dela, comecei a empurrar bem devagar ate colocar a cabeca, ela parecia estar em choque, so tremia e gemia bem baixinho, pedindo mais, e mais, fiu colocando o pau todo naquela bundinha gostosa dela ate meu pau acomodar levou um tempinho mais o tesao era demais, mal comecei o vai e vem naquela fonte de prazer que era aquele cuzinho ela comecou a gozar. Gemia tao gostoso que fui aumentando a velocidade e a forca, o pau entrou tanto que eu sentia a bucetinha dela no meu saco. Eu a segurei pela saia na cintura com forca, e dei uma estocada bem forte, e comecei a jorrar porra naquele cuzinho apertado, ela gemia e dizia, goza meu gostosao, goza bem fundo no meu rabo, me enche de porra, da um trato na filhinha tambem. Gozamos juntos o cuzinho dela parecia morder meu pau, terminamos e fomos pra cozinha pra minha sorte a coroa ainda dormia, ainda deu tempo de dar uns amassos na filha ate a coroa acordar.

Estou comendo minha avó

O meu nome é Fernando, tenho 19 anos, sou militar, minhas ex-gatas dizem sempre que eu tenho um baita de um pirocão, quando terminam comigo, só namorava pra fuder, tenho 1,85 de altura, peso 89 quilos, sou filho caçula, tenho mais 2 irmãos mais velhos e casados, moro com os meus pais.
Há uns 2 meses atrás meus pais foram viajar e antes disso a minha avó materna, viúva já uns 8 anos, de 60 anos, veio passar uns tempos com a gente.
De vez em quando ela me via só de cueca, e sempre brincava comigo, me chamando de mulecão. Quando ela e eu fomos deixar meus pais no aeroporto, na volta para casa, uma ex-namorada pediu carona e eu dei, conversamos um pouco, deixei ela na casa dela e vim para casa com a minha vó, a vovó quis saber sobre o fim do meu namoro, disse que a moça era muito bonita, tinha um corpão, e que parecia com ela quando era jovem.
De noite, estávamos assistindo a novela, umas 9 horas, quando começou a cair o maior toró, era água pra danar, minha vó disse que estava assustada e veio sentar perdo de mim, deitou na minha perna, eu estava só de bermuda, e comecei a ficar de pau duro com a cabeça dela em cima da minha pica. Ela notou, e safadamente passou a mão bem em cima do meu pau, eu me segurei pra não gemer de prazer, então ela repetiu e segurou bem na cabeça da minha pica.
Depois levantou e perguntou se eu tinha coragem de fazer amor com ela, nem respondí, levantei e fui encostando nela bem devagar, ela prontamente correspondeu, e a gente se beijou em pé, comecei a esfregar o meu pau nela, desliguei a televisão e a sala ficou meio escura, ela se entrgou de vez, então eu fui deitando ela no sofá, entre as pernas delas comecei a bombar por cima da camisola, e fui tirando minha bermuda, quando ela viu o tamanho do meu pau, quase 26cm de comprimento, ela delirou, se abaixou e começou a chupar, mandei ela parar pra não gozar na boca dela, então comecei a tirar a roupa dela, ví então que a minha vó não era de se jogar fora, estava bem conservada para 60 anos, comecei a pegar na buceta toda meladinha, ela então pediu pra eu deitar em cima dela, fui metendo bem devagar, estava apertadinha, devido o tempo que ela estava sem transar, fui metendo até o fim, comecei a bombar e ela quase grita quando gozou em menos de 5 minutos, pediu pra eu não parar, continua, continua, mete com força, eu quero gozar mais, que pica gostosa, eu acho que vou morrer nesse teu pauzão, acho que vou morrer de tanto gozar, aí eu fui à loucura também, gozei adoidado naquela xana velha mais apertadinha e gostosa, gosamos à vontade.
Depois fomos pro quarto dos meus pais, nos lavamos, eu fiquei de olho no rabo dela, e comecei a esfregar a cabeça da minha pica na racha da bunda dela, ela se segurou na pia do banheiro e eu fui metendo o meu pau até os culhões no rabo dela, chega ela fazia careta, e eu olhando pelo espelho ela fazendo careta pra aquentar a minha pica todinha dentro do cú dela, depois ficou de quatro, parecia uma cachorrinha, gozei uma 3 vezes seguidas dentro do cú da minha vó. Quando parei, fomos tomar banhos, o pau tava todo dolorido, fui lavar a boceta dela, tava escorrendo um rio de gala, ela começou a rir, e disse que nunca tinha traído o marido e veio encontrar um pirocão tão gostoso dentro da própria família.
Depois ficamos conversando deitados, nús embaixo do lençol, comecei a esfregar meu pau nela de novo, comecei a beijar ela, fui pra cima e fudemos até umas 3 da madrugada. Depois dormimos agarrados. Quando acordamos no outro dia, começamos tudo de novo, ela me disse que estava precisando se atualizar no sexo, que estava com a piriquita ardendo, depois de tanto tempo sem fuder deu de cara com uma pombona enorme, mas estava realizada. Hoje, sempre a gente dá uma trepada escondida pela casa de vez em quando, vamos pra garagem da casa pra fuder, transamos encondidos lá no terraço quando a empregada está ocupada com alguma tarefa, fudemos atrás da porta do meu quarto em pé, ela diz que é uma loucura, mas que ela adora fazer estas loucuras comigo. E me diz mais, vou ficar sempre do teu lado enquanto tú me quiser como mulher. A gente transa sem camisinha, é uma delícia, adoro comer de todo jeito a minha avó. aquele bucetão, aquele cuzão, me deixam tarados, e assim nós continuamos, minha vó e eu.

Meu tio foi pescar e eu comi minha tia por acaso

Certo dia estava passando próximo a casa do meu tio qdo resolvi passar lá pra bater um papo e tomar uma geladinha. Toquei a campainha e quem me atendeu foi minha tia que sorridente abriu o portão e me mandou entrar.Comecei a conversar com ela e perguntei sobre meu tio, ela ficou com a carinha triste e me disse q ele estava pescando desde o dia anterior e só voltaria no dia seguinte.
Eu ja sabia q meu tio tinha umas putinhas por fora, então logo me liguei q minha tia tbm sabia, e disse pra ela em tom de brincadeira : -Pelo menos segunda vcs tem peixe pra comer ! . Ela com os olhos cheios d lágrimas me olhos e disse : -Só se for piranha !. e começou a chorar.
Como estavamos sentados no sofa meio d frente um para o outro, eu me aproximei dela peguei sua cabeça e encostei em meu ombro e disse : -Chore a vontade.Solte tudo ! Ela então em meio a soluços me perguntou: Vc me acha feia?Acha q mereço isso? Então respondi : -Imagina tia! A senhora é uma mulher linda. E digo mais, se fosse minha mulher eu nao te largava em casa por nada neste mundo ! Entao ela levantou a cabeça de meu ombro e me olhou com um sorisinho nos lábios q confesso q acendeu uma chama dentro d mim.
Simplesmente me perguntou:-Vc me acha atraente? Eu ja estava começando a me excitar e respondi : Sim, e muito! Então ela passou sua mão por tras d minha nuca me puxou pra mais perto e me deu um beijo maravilhoso! Nossa,,,,, que beijo! Todas as minhas fantasias estavam se tornando realidade naquele momento! Comecei a beijá-la com muito mais tesão e ela respondia. Se eu a apertava ela me apertava tbm e qdo dei uma chupadinha em sua orelha ela me disse gemendo entre os dentes: -Gostosinho, vamos pra cama! Acho q demoramos uns quinze minutos pra chegar no quarto q era ao lado da sala tamanho o tesão q havia em nós, nao conseguiamos nem andar, só nos beijávamos e nos pegavamos. Quase transamos no corredor.
Ao entrarmos no quarto ela já foi logo tirando a roupa e ficou só de calcinha e sutian(maravilhosos, de rendinha preta)e me falou:-Tá vendo?Me produzo toda e aquele babaca faz mais d 6meses q nem me olha! Agora é tudo seu! Eu rapidamente sentei ela na cama e comecei a beija-la da cabeça aos pés.Voltei a sua boca e dpois d beija-la muito comecei a descer, indo em direção aos seus peitos q comecei a mordisar porcima do sutiã. Ela ´so gemia e falava:-Vai gostoso! Hj sou sua putinha.Abusa d mim!! Ela msmo em um unico gesto tirou o sutia e disse bem safadinha:-Chupa!!! Aquilo foi dmais, quase gozei naquela hora. Enquanto chupava seus peitos comecei a mexer em sua bucetinha, q d tão mollhada ja estava escorrendo para a calcinha.
Com as duas mão tiei sua calcinha encharcada e comecei a beijar suas coxas em direção a sua bucetinha quase careca, qdo ela d repente me disse: - O q vc vai fazer? Eu estranhando a pergunta respondi:-Vou te chupar,ué. Ela disse então:- Nossa, seu tio nunca me fez um oral, por mais q eu pedisse! Então d joelhos no chão e com a cara enfiada no meio d suas pernas respondi:-Pois comigo peça o q quiser q eu faço! e comecei a chupar seu grelo lindo, vermelho, grande e durinho. Ela começou a dar pulinhos enquanto gemia mais forte e então gozou. Uma Quantidade tão grande d melzinho q me lambuzei todo. Fiz ela gozar mais umas duas vezes e ja estava até com dor na língua qdo ela falou q queria me sentir dentro dela.
Fiquei em pé ao seu lado e tirei minha camiseta e minha bermuda, ficando só de cueca.Meu pau estava tão duro q ja tava saindo pra fora. Ela deitada olhou pra mim e disse:- Uau! Q grande ! Qual o tamanho disso?respondi:-Nem é tão grande assim! Tem só 20cm. Então respondeu:- É 3 cm maior q o do seu tio.Q delícia! E começou a chupar. Ela chupou tão gostoso q eu quase gosei na sua boca.Implorei para ela para ou então acabaria gozando e nao queria isso ainda.
Ela se deitando na cama me falou:- Vem meu sobrinho tesudo. Vem foder sua titia com força. Vem fazer o q ela quer e o otário do seu tio naum faz! Nao pensei duas vezes, me deitei ao seu lado, ergui uma de suas pernas e comecei a penetrá-la.Ela dando um gritinho me falou:-Vai com calma q faz muito tempo q naum sinto nada mais grosso q meus dedos, então seja carinhoso! respondi:-Vou enfiar beeem devagarinho e se doer vc me diz. Fui enfiando vagarosamente e ela só gemia gostoso me pedindo pra nao parar ate q em em movimento brusco do seu quadril em minha direção, enfiou todo meu pau em sua buceta quente e melada.
Deu um gritinho abafado, virou pra mim e disse:-Agora me arregaça, me faz gozar mais seu safado! Fui metendo com muita força naquela buceta gostosa e ela gemia, gritava pedia pra naum parar e então, mordendo o travesseiro deu um grito mais forte e gozou como uma louca.Sem tirar meu pau d dentro fui pra cima dela e pegando a outra perna e apoiando em meu ombro comecei a fodê-la novamente enquanto ela dizia q a partir daquele dia seria minha puta e gemia qdo eu tirava meu pau todo e enfiava tudo d uma vez. Tirava meu pau até a pontinha e enfia tudo em uma estocada só.Fiz isso algumas vezes até q drepente ela deu outro gritinho e gozou novamente. Ela olhou pra mim e disse:-Nossa. Acho q nunca gozei tanto em minha vida! Vc nao goza nunca? Disse a ela q estava me segurando pq estava qrendo aproveitar ao maximo aquela oportunidade pois talvez nao se repetiria.Ao q ela respondeu:-Bobinho.Acha q eu naum vou querer uma foda tao gostosa destas novamente? Engano seu. Agora saia de cima d mim e ajoelhe na cama.
Fiz o q ela me falou e então começou aquela chupeta maravilhosa. Ela ficou d 4 na cama e enquanto chupava meu pau olhava pra mim e enquanto lambia, sorria e dava umas piscadinhas. Disse q nao conseguiria segurar mais meu gozo e q iria gozar e ela fazendo-hum.hummm, começou a me punhetar e chupar. Gozei como um maluco. Ela até se engasgou mas nao deixou cair nada fora d sua boca, engolindo tudo. Ficou d joelhos em minha frente e me beijou e eu respondi a seu beijo, ent/ao me disse:-Vc nao tem nojo!é realmente um homem maravilhoso!
Olhei bem nos ohos dela e disse ;-Como poderia ter nojo d algo q é meu e esta em uma boca tão maravilhosa como a sua? Nos abraçamos e ela então me confessou q algumas vezes havia se masturbado pensando em mim.Beijei-a novamente e dsse q sempre q possivel transaríamos, para ela nao se preocupar.
Essa foi a primeira das muitas transas q tivemos e um dia até seu cuzinho eu comi, coisa q dpois se tornou um hábito delicioso.

Transando com a cunhadinha

Estava sentindo uma atração inevitável pela minha cunhada,não podia parar de pensar naquela safadinha,tão delicadinha,aqueles peitinhos pequenos empinados,aqueles quadris lindos,aquela bucetinha inxada,me fazia tocar altas siriricas pra ela,até o dia que como de costume a Nana me ligou na madrugada,queria conversar,éramos muito amigas,a conversa era meio sem sentido naquele dia,daí ela parou de conversar,ficou ofegante e começou a gemer,minha xota começou a piscar com aqueles gemidos,a Nana falava sacanagens,que estava se tocando,aonde se tocava e era por mim,pra mim,acabamos gozando via sexofone aquela noite. Sem saber o que fazer,se a procurava ou não,estava um pouco tímida,mas não foi preciso fazer nada,cedo ela chegou em casa com o irmão,meu noivo na época e agora meu marido,não sentia timidez nenhuma,estava muito alegre e eu acabei ficando,fomos os 3 almoçar,depois cinema e acabei indo dormir na casa deles,era tudo um plano dela,no banheiro do cinema disse que queria fazer na real o que fizemos no fone. Fui dormir no quarto dela como sempre,dei uns beijos no meu noivo e fui para o quarto,uma chuva forte caia lá fora. Me surpreendi ao ver aquele quarto tão bonito,todo cheio de velas,a luz apagada,um lençol branco sobre a cama,cheio de pétalas de rosas,entre tudo isso,ela,apenas com uma calçinha minima e trasparente,eu fiquei um poquinho amedrontada,nunca tinha ficado com uma mulher mas não sou de fugir,ainda mas dela que mesmo com a pica do meu homem não conseguia parar de desejar. Quando a vi só nos tomamos nos braços,enrroscamos nossas línguas e fomos parar na cama,coloquei aquelas tetinhas todinhas na boca,como queria,ouvi aqueles gemidos que eu amei,senti aquelas mãozinhas invadirem minha caçinha massagearem meu grelinho molhado,estava totalmente entregue,nuas e desavergonhadas ela me tocava uma siririca massgeando meu grelo,me fazendo gozar na sua mão,depois ela lambeu os dedos melados do meu mel,cahorra fica de 4 pra mim,a Nana era muito mais gostosa do que eu pensava,naquela posiçao lambi a buceta e o reguinho dela,um dedinho no cu e outro na xota,ela xingava e pedia mais meti mais um na xota e outro no cu,ela começou num vai e vem,eu ajudava e assim ela gozou e depois lambi o gozo na sua xota,e chupei o grelo com força!!!Que delicia!Que maravilha!Ela ficava gritando,e gozou denovo. Pensei que parariamos ali mas Nana queria me chupar tambem e foi isso que fez,eu segurava a cabeça dela no meio das minhas pernas,puxava o seu cabelo,rebolava na língua dela e acabei gozando,nem tive tempo de respirar ela veio por cima e nos beijamos,eu disse a ela que queria dar o rabo,e dei,deitada como estava,levantei as duas pernas,ela encontrou o buraco do meu cu e foi penetrando,os dois dedinhos de uma vez,me ajeitei de ladinho e de ladinho ela foi me fudendo com os dedinhos,tive um gozo anal maravilhoso,trocamos muitos carinhos e beijos,exaustas acabamos dormindo.

A primeira noite com o meu padastro

Me chamo Adriana, tenho 22 anos e hoje vou contar como foi a minha primeira transa com o Gilberto, meu padrasto. Tenho cabelos pretos e sou bem branquinha, sou baixinha (1,59m), tenho seios pequenos, coxas grossas e um bumbum bem gostoso, segundo os homens. Mas meu corpo nem sempre foi assim... Eu era uma menininha bem miudinha aos cinco anos. Foi nessa época que a minha mãe casou com o Gilberto, mais de um ano depois de se separar do meu pai. O Gilberto sempre me tratou muito bem, sempre foi um pai de verdade pra mim. Nós sempre fomos muito próximos e muito carinhosos um com o outro. Quando eu era pequena, tomava banho com ele e com a minha mãe. Um dia, aos onze anos, num dia em que a minha mãe tinha saído, eu e o Gilberto estávamos tomando banho juntos, e o pau dele ficou ereto. Eu perguntei o que tinha acontecido e ele disse que não era nada, e depois daquele dia ele disse que eu já estava grandinha demais pra tomar banho com os pais. Senti falta de ver aquele corpo nu todo ensaboado. Ele é alto, tem os braços fortes e o peito cabeludo. Quando passei a me masturbar, na adolescência, muitas vezes me imaginei nos braços dele, toda molhadinha e ensaboada... mas depois ficava com vergonha de mim mesma, por sentir aquilo por um homem que era mais que um pai pra mim. Mas sempre que minha mãe não estava em casa e eu via TV com o Gilberto, no sofá ou na cama deles, eu deitava a minha cabeça no peito dele, e ele me fazia um cafuné tão gostoso que me deixava molhadinha. As coisas começaram a mudar quando eu tinha dezenove anos e levei o meu primeiro namorado, o Matheus, pra apresentar aos meus pais. O Gilberto ficou com muito ciúme, e nunca tratou o Matheus bem, nos seis meses em que a gente namorou. Até comigo ele ficou diferente, mais seco, mais distante. Eu achava que era ciúme de pai, mas um dia eu comecei a achar que era ciúme de homem. Eu tava limpando o chão da cozinha, de quatro no chão, de shortinho e mini-blusa, e com o canto do olho eu vi que o Gilberto, lá da sala, não parava de olhar pra minha bunda. Depois disso, comecei a reparar e vi que, sempre que podia, ele olhava pra minha bunda. Foi aí que comecei a usar roupas ainda mais curtas, só pra provocar ele. Quando terminei o namoro com o Matheus, eu abracei o Gilberto e chorei no colo dele. Ele me beijou no pescoço e disse que nunca ia deixar nada de mal me acontecer. Eu beijei o pescoço dele e disse que seria a menininha dele pra sempre. E ele voltou a ser carinhoso comigo... O ciúme era mesmo ciúme de homem. A GRANDE NOITE foi uns dois meses depois disso, no verão. Minha mãe estava a semana inteira na casa da minha tia, que tinha tido um bebê e precisava de ajuda. Eu, sozinha com meu paizinho em casa, fazia tudo para agradá-lo. Numa noite, fomos ver um filme no sofá. Eu, que já estava com segundas intenções, coloquei um shortinho bem curtinho e larguinho, sem usar calcinha por baixo, e uma blusinha bem soltinha e decotada. Vimos o filme agarradinhos no sofá, ele sem camisa e eu com o seio direito roçando no peito dele. No meio do filme, deixei a alça da blusa cair para o meu seio ficar de fora, e voltei a me encostar nele, que me abraçou e me apertou mais nessa hora. Pelo volume do short dele, vi que ele estava com o pau durinho da silva – e desta vez eu sabia bem o que isso significava. Depois do filme, eu virei pra ele e disse: - Paizinho, me leva pra cama, como você fazia antigamente? Ele me pegou no colo e me carregou pro meu quarto. Eu, com o seio de fora roçando no peito nu dele; ele com a mão na minha bunda, por dentro do short, percebendo que eu estava sem calcinha. Ele me pôs na cama e sentou ao meu lado, sem que eu desgrudasse do pescoço dele. Então eu disse: - Me dá um beijinho de boa noite? Ele me beijou na testa. Eu fiz uma cara de contrariada e disse: - Não é esse tipo de beijo que eu quero... Ele me olhou nos olhos por alguns segundos e perguntou: - Adri, você... já é mulher? - Já, faz tempo... Mas hoje eu quero ser a SUA mulher. Ele passou a mão nos meus cabelos e me beijou. Me beijou e começou a me acariciar e a me apertar, e logo tirou a minha blusa e passou a me lamber e chupar os meus seios, enquanto eu gemia de prazer. Com um movimento rápido, ele tirou o meu shortinho e começou a lamber e chupar a minha xaninha, que já estava molhadinha, até me fazer gozar com um estremecimento. Então eu o fiz deitar e me joguei em cima dele e comecei a mordê-lo e chupá-lo e lambê-lo e apertá-lo. Fui descendo cada vez mais, até tirar o short dele e dar de cara com aquele pau enorme, que pulsava de tão cheio e inchado. Chupei ele bem gostoso, depois fui me encaixando em cima do membro do meu paizinho, para cavalgá-lo bem gostosinho, até nós dois gozarmos, quase numa hemorragia de prazer. Ficamos agarradinhos, lado a lado, conversando e nos beijando, até que algo voltou a fazer pressão no meu ventre. Era o pau dele, que estava ereto de novo, pronto pra outra. Ele veio por cima de mim e enfiou bem fundo, e ia pra-frente-pra-trás, pra-dentro-pra-fora, e era maravilhoso sentir aquele homão ao mesmo tempo em cima e dentro de mim, me dando tanto prazer que eu tinha vontade de gritar para o prédio inteiro ouvir. Tomamos banho juntos (a primeira vez depois de oito anos) e dormimos nus, abraçadinhos, na cama dele e da minha mãe. Acordei com o meu paizinho lambendo a minha xaninha de novo, e nos entregamos a outro ritual de prazer. A minha primeira vez com o Gilberto foi inesquecível.

Pai flagrou a filha com o tio-avô

Eu ia fazer quinze anos quando meu pai flagrou o tio dele, portanto meu tio-avô chupando meus peitinhos! Eu morri de vergonha e desmaiei. Só me lembro que quando acordei estava no colo de meu pai que me abraçava e chorava ao mesmo tempo! - Cecília, minha filhinha! Oh, minha criança! O que esse monstro andou fazendo com você!! Oh! Jesus! Ele notou que eu havia acordado e rapidamente enxugou as lágrimas e então voltou a ser o homem rude que era! -Que foi que você andou aprontando agora, sua malcriada!? - Não fiz nada, pai! Juro? - Como não fez nada! Eu vi com meus próprios olhos! Você e o canalha do tio Alfredo! - Enquanto falava ele me empurrou do seu colo. - Mas... papai, eu... não... - Vai me dizer que você não sabia o que estava fazendo? - Não! Não sabia! - Falei com toda firmeza que encontrei, ainda sem encará-lo. Mas lembrando do jeito que ele tratava a mim, minha mãe e meu irmão, tive mais forças pra levantar a cabeça e encará-lo. - Então aquele canalha... estava lhe forçando a fazer... aquilo? Não respondi, apenas fiquei encarando-o. Meu tio-avô Fred era o mais novo dos irmãos de meu avô por parte de pai. Quando ele fez quarenta e dois anos, uns dois meses antes, eu chupei seu pau! Foi a primeira vez que eu chupei e engoli esperma de um homem! No dia seguinte ele me mostrou toda a arte da sodomia! Não sei se meu pai tinha notado, mas quando ele nos flagrou eu estava sentada no colo, de frente pro meu tio-avô, dando-lhe meus seios pra ele chupar enquanto sua rola me enchia o cusinho! Eu estava com o uniforme da escola e minha longa saia xadrez cobria em volta da metade das minhas coxas e também parte das pernas de tio Fred! Não creio que meu pai viu sua filhinha sendo enrabada pelo seu tio! O que Fred fez pra esconder sua rola, eu nunca soube! Meu pai decidiu me mandar pra Portugal e terminar todos meus estudos por lá! Eu e minha mãe choramos bastante até o dia de minha partida. Ela por ter a filhinha longe de si, eu por perder a rolona de meu tio-avô! Meu pai nunca contou a minha mãe a verdade porque estava me mandando pra Europa. Minha mãe só foi saber da verdade quase dez anos depois quando participávamos de uma orgia! Nunca tivemos nenhuma relação sexual. Nos tornamos muito amigas a partir dos meus dezessete anos quando descobrimos os segredos uma da outra! Minha mãe, dona Helga, era a mulher mais bonita que já vi na vida! Tudo nela era volumoso e harmonioso ao mesmo tempo. Ela era mais alta do que eu e tinha mais busto . Dela, eu herdei a bunda, sua linda bundona! E também a vontade por sexo! E com mais de um homem ao mesmo tempo! Porém, quando tudo isso aconteceu, minha mãe era uma mulher totalmente apagada e sem charme nenhum devido a rígida disciplina e autoritarismo de meu pai que exagerava no que ele dizia ser "educação lusitana". Foi uma feliz surpresa quando voltei um ano depois e a encontrei tão bela como os dia de hoje! E voltei graças a ela, que já estava desquitada de meu pai e vivia com o advogado que lhe fizera o desquite. Minha mãe realmente estava muito bela e tudo em sua volta irradiava alegria! E por tabela, muito sexo e infidelidade por parte dela! Enquanto eu estava em Portugal, estudava num colégio de freiras. Havia muita sacanagem ocorrendo por lá, mas tudo muito discreto. Em outra oportunidade contarei o que vi e as experiências que tive por lá. Agora posso adiantar que acabei me apaixonando por uma das irmãs professora que nos dava aula de sociologia e teologia. Seu nome verdadeiro era Petra, mas nós a chamávamos de Irmã Clara. Ela era originária da Estónia. Durante uma semana eu a seguia até o horto do colégio e a ficava espreitando enquanto ela se despia ao ar livre. Depois pegava a corda que servia para amarrar o hábito na cintura e se espancava! Ela fazia isso até alcançar um frenesi com a respiração rápida e pesada e depois se masturbava suavemente! Eu a chantagiei e a tornei minha putinha! Lhe deflorei o cusinho e frequentemente fazíamos troca-troca! Um dia a madre-superiora nos pegou enquanto nos beijávamos e nossas coxas se roçavam uma na outra, atrás de uma árvore! - Sagrados santos! Que vos estão a fazer, criaturas de deus!? Petra, irmã Clara, não se abalou tanto quanto eu! Ela me abraçou mais forte ainda enquanto dizia pra madre-superiora. - Vais a ter com teu jardineiro! E nos deixe em paz! Só então fui saber que a madre superiora era constamente sodomizada pelo jardineiro, um homem baixo, aloirado, com alguns dentes faltando, mas que possuía uma bela rola! Enquanto estive lá eu o chupei algumas vezes pensando no meu Fred! Após minha volta, meu pai ameaçou-me de contar tudo a esposa de tio Fred e implorou para que eu fosse morar com ele. Minha mãe deixou que eu decidisse. Assim passei o próximo ano me dividindo entre eles, ora aborrecendo um e outro. Meu pai era quem mais se irritava, minha mãe no entanto não me dava tanta bola. Acho que a partir daí que fui respeitá-la como mulher! Tio Fred estava morando em Friburgo e quando soube que eu estava de volta em Resende, me telefonou. E dessa vez foi minha mãe quem flagrou meu tio avô com a boca na botija, literalmente! Eu estava montada no rosto dele, minhas pernas abertas pelas mãos de tio Fred que se deliciava em chupar minha rosada xaninha! Minha mãe assutou-se ao nos ver, pois pensava que aquela suíte da Pousada que ela administrava, esta vazia. - Tomem, aqui está a chave! Tranquem a porta por dentro! - A partir daí eu amei mais ainda minha mãe, dona Helga. Fiz algumas criancices, próprio de adolescente durante um tempo com ela, mas aos poucos fomos ficando cada vez mais confidentes! Fred se engasgou com a súbita aparição de minha na porta e levou algum tempo até ele voltar ao normal. Que só foi conseguido enquanto eu lhe sugava a rolona e lhe dizia palavras de carinho. - Está tudo bem... tudo bem. Não... se preocupe... ela agora já sabe. Fica calmo e goza gostosinho o teu leitinho que estava com tanta saudade! - Oh, minha pequena... como te amo! Quanta saudades! Estais mais bonita, ó cachopa! E como chupas bem o meu prego, querida rapariga! Onde aprendeste...deste jeito! Que coisa... coisa mais... mais maravilhoooosaaa! O rosado tronco do caralho do tio Fred brilhava com a minha saliva e também com o pré semên que ele expelia. Antes de ir pra Portugal, eu só conseguia colocar toda a glande e mais pouquinho do tronco. Agora eu via os olhos dele revirarem quando cheguei com meus lábios até a base de seu cacetão! Eu já não agüentava de tanta tesão de sentir aquela massa de músculo vibrando dentro da minha boca e da minha língua! Eu me masturbava e alcançava facilmente meu gozo! Eu poderia ficar horas chupando tio-avôzinho Fred eternamente! Eu estava em transe quando ele suavemente retirou seu cacete de minha boca e foi me erguendo pra cima dele. Ele segurou seu enorme pênis pela base e deixou que eu fosse me sentando bem devagar! Sua glande encostou na entrada de meu cusinho e ambos demos um longo suspiro! Um longo suspiro de saudade e por ter agora a tesão saciada de meu cuzinho e de sua rolona! Logo, logo eu me enterrei todinha em seu caralho! Sensualmente comecei a rebolar com toda alegria de ter um homem dentro de meu cusinho! O gozado é que enquanto ele me enrabava eu só conseguia me lembrar da irmã Clara!

Enrabei a tia Keyla aqui em casa

Oi, me chamo Paulo, tenho 22 anos. Moro com meus pais, e uma avó que é viúva e doente. Em junho deste ano, minha mãe tinha uma cirurgia marcada, pra retirada de pedras na vesicula. Como era minha mãe quem cuidava da minha avó, alguem teria que substitui-la quando fosse operada. A responsabilidade veio a minha tia Keila. Ela tinha 31 anos, mas mantinha a forma fazendo academia e os cabelos dela eram lindos. Era morena e tinha uma bunda de invejar meninas de 18 por ai.
Na semana em que minha mãe foi operada, ela veio aqui dormir junto com minha avó e eu. Meu pai dormia no hospital com minha mãe. As noites estavam tranquilas, pois minha avó não dava muito trabalho, apenas quando ia ao banheiro. Numa determinada noite, na segunda em que ela posou aqui, pra ser mais exato, aconteceu um pequeno acidente. Ela ia dormir na sala, pois era o comodo que ficava mais perto do quarto da minha avó, mas, a sala fica antes do banheiro, ou seja, eu tinha que atravessar a sala pra alcançar o banheiro.
Naquela noite, eu sem camisa, e de shorts, ia em direção ao banheiro, quando notei que minha tia passava creme nos seios. Rapidamente, com educação, pedi desculpas e virei o rosto. Mas pra minha surpresa, ela não se incomodou, e me disse:
-Que que há? pode passar....
Eu passei, imaginando que ela tivesse cobrido os seios, mas não! eles estavam lá, lindos e brilhantes com o creme. Tinha bicos grandes e rosados.
Naquela mesma noite, eu fiquei um pouco mais tarde teclando com umas minas na net. Quando me preparava pra ir dormir, fui a cozinha tomar agua. Coloquei uma cueca e deitei. Estava quase dormindo, quando vi por baixo da porta que a luz da cozinha se acendeu! me assustei , mas lembrei que minha tia estava ali. Minha surpresa aconteceu quando a luz se apagou! imaginei que ela tivesse ido dormir, mas não. Ela queria ver a porta do meu quarto. Apagou aluz e veio em direção ao meu quarto. Ouvi a porta abrir e espiei por baixo do edredon, vendo que era ela. Me surpreendi quando vi que ela estava só de lingeries. Fingi que dormia, respirando alto. Ela se aproximou parecendo estar mesmo determinada ao que ia fazer. Eu fingia dormir, mas ouvia seus pisados leves em minha direção. Ela chegou perto de meu rosto e disse baixinho:
-Paulinho! está acordado?...!
Eu não respondi fazendo parecer mesmo que estava dormindo.
Ela parou por um momento, mas em instantes retomou o folego e começou a passar a mão em meu cabelo. Dai, passou a me acariciar por cima do cobertor, puxando-o de leve pra baixo. Meu peito estava a altura de seu rosto, ela aproximou e beijou minha barriga. Eu quase gemi, mas continuei "dormindo". Senti um arrepio quando senti sua mão tocando meu pau por cima da cueca. Minha cueca era branca, com tecido de seda, fazia o desenho certinho do pau mesmo estando de cueca. Ela o massageava de varias formas, me deixando louco ali na cama. Comecei a ficar de pau duro, o que uma pessoa não faz durmindo. Ela abaixou a cueca e tirou meu pau pra fora, num piscar de olhos ela o abocanhou de forma voraz...parecia que não via pau a anos! Depois daquilo não aguentei, gemi e me virei pra facilitar o serviço dela. Ela sorriu e abocanho novamente meu pau. Ela chupava gostoso, tinha já certa pratica. Puxava as bolas e lambia a cabeça do meu pau me fazendo ver luz no quarto escuro. Mas, pra minha infelicidade, antes mesmo de eu gozar, ouvi minha avó chamando por minha tia. Precisava ir ao banheiro. Ela se levantou, sorriu e foi. Mas a felicidade bateu novamente na minha porta, quando vi que ela voltava ao meu quarto. Desta vez eu não fingi nada. Ela se pos de vez junto a mim na cama e continuou o boquete que fazia. Agora ela punhetava e chupava assim sincronizadamente. Mordiscava a cabeça do meu pau e engolia todo. Ela ficou uns 10 minutos ali mamando quando me perguntou:
-Voce não goza não?
Disse a ela que continuasse que ja gozaria, e não demorou pro primeiro jato subir. Nesta hora ela não estava com a boca no meu pau, mas estava chupando minhas bolas. Quanto gozei, o primeiro jato melou seu rosto, mas rapidamente ela tapou o vazamento com a boca e engoliu o resto. Mamou mais um pouquinho e deitou ao meu lado, e beijou no pescoço. Pra mostar que sou homem mesmo sendo com tia, a segurei e me pus sobre ela, apalpando os peitos que estavam debaixo daquele lindo sutien branco. Fui beijando seu pescoço e lambendo seus peitos por cima do sutien, com a boca abaixei uma das alças e mordisquei o primeiro cm daquele peito grande. Fui mamando nos lados do seio, até chegar ao biquinho, alias, bicão, ja estava duro, parecia mais um pinto ali na minha frente. Comecei a chupar aquele peito e mamava como se estivesse me alimentando nela. Repeti no outro seio. Eu ja estava doido de tesão, me pus sobre o corpo dela de forma que ficamos colados iguais na cama. Passei a mão na sua buceta e fui tirando sua calcinha. Ela colaborou erguendo a bunda pra facilitar a saida. Tirei a tanguinha tambem branca da tia Keila e abocanhei aquela vala de buceta, grande mas um pouco apertada apesar da idade. Enfiava a boca e o nariz na sua buceta lambendo tudo onde eu alcançava. Sentia sua buceta "suar" na minha boca. Subi na cama alcançando a cabeceira da cama.Coloquei meu rosto ao lado do seu e direcionei meu pau a sua xoxota. Foi facil a penetração, mas era uma buceta gostosa, macia, e não era muito larga. Meti devagar no começo com receio da minha tia, até ela me provocar.
-Achei que meu sobrinho era dos fortes, vim louca pra sentir pau, mas pau mesmo!
Aquilo subiu ate com raiva na minha cabeça. Comecei a socar forte, a cama parecia que ia ceder. Rangia e mais eu metia. Ali minha tia viu estrelas, estava metendo com todas as forças sentindo eu ate dor no pau de tanto meter. Minha tia gemia baixo, e abria a boca pra cima. Eu comecei atirar e meter de novo bem rapido. Ela urrava baixo.
Botei as mão na coxa dela, e ela recolheu um pouco a perna deixando minha cintura entre seus joelhos. Com as mão na coxa, senti mais força pela posição e comecei a socar ainda mais forte. Senti que ia gozar e disse a ela que ia gozar fora pra não engravida-la. Ela respondeu que era Laquiada. não podia mais ter filhos.
Pra minha alegria, gozei muuuuuito dentro daquela buceta que formigava de tanto receber pau.
Dei um tapinha na bunda dela sinalizando pra ficar de quatro. Ela sorriu e me disse que eu seria o primeiro a provar daquela bunda, pois com aquela idade nunca ninguem comeu seu cu.
Me senti feliz, e lambi o seu anelzinho pra lubrificar um pouco. Coloquei o pau na entrada do cu da tia Keila, e terminei de gozar o resto. Aproveitei da porra ali e comecei a enfiar. Coloquei a cabeça e comecei a fazer movimentos giratorios, como se estivesse parafusando meu pau no cu dela. Ela gemia, pois ali ainda sentia dor. Vi que era hora de descontar a raiva que passei quando ela me disse que eu era fraco. Escorreguei meu pau todo até onde alcancei dentro do seu rabo. Ela quase gritou, e estremeceu na cama, abaixando a cabeça e mordendo o travesseiro. Bombava com vontade, mas com um pouco de receio ainda. Comecei a meter normal, pra deixa-la com prazer alem de dor. Ela gemia e disse que ia gozar. Calcei a mão na sua cintura e me pus a aproveitar o ultimo bom momento da noite. Comecei a bombar de forma entra-e-sai, tirava o pau todo e colocava tudo de novo. E quando senti que eu e ela gozaria-mos de novo, me esforcei pra ergue-la no colo, ainda com o pau no cu dela, e saimos pro chão , não queria molhar o lençol. Soquei mais um pouco ali no chão até sentir espirrar sua porra em mim. ela gozou muuuuito
Não demorei até encher seu cu de gozo tambem...ela respirava cansada! aproveitei da ocasião pra dizer a ela quem era o fraco ali agora. Ela sorriu. Tirei o pau devagar e me assutei quando espirrou do seu rabo, porra de volta pra mim. Enchi demais. Lotação total.
Ela se levantou, me beijou no rosto e disse boa noite. Rapidamente como se nada tivesse acontecido.
Na noite seguinte repetimos a dose, da mesma forma. Seguimos assim por 2 semanas, até minha mãe ter alta.